Um camião armadilhado explodiu esta quinta-feira no sul de Bagdade, numa estação de serviço, e provocou a morte a pelo menos 56 pessoas, 20 das quais iranianas, num ataque reivindicado pelo grupo extremista autodenominado Estado Islâmico.

Fontes policiais e hospitalares confirmaram o balanço de vítimas e acrescentaram que outras 45 pessoas ficaram feridas pelo ataque, que destruiu praticamente a estação de serviço, várias lojas na proximidade e provocou incêndios em vários carros. A estação de serviço está situada numa autoestrada muito movimentada.

A explosão causou a falta de energia na estação, o que forçou os familiares das vítimas que procuravam os corpos destas a recorrerem aos telemóveis para conseguirem alguma luz.

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hassan Qashqavi, citado pela agência semioficial Tasnim, aludiu a 80 vítimas mortais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A reivindicação feita pelo grupo mencionado acrescentou que o ataque foi feito por um suicida, com recurso a um camião bomba. Fontes iraquianas especificaram que o alvo do ataque parece ter sido um autocarro que transportava peregrinos iranianos de regresso a casa, depois de terem participado numa importante cerimónia religiosa em Karbala, uma cidade santa para os xiitas.

A cerimónia xiita assinala o 40.º dia depois do aniversário da morte de um imã, muito reverenciado, do século VII. O evento costuma acolher centenas de milhares de peregrinos, incluindo muitos iranianos, que viajam por terra para o Iraque.