O Bloco de Esquerda abre na quarta-feira o debate quinzenal com o primeiro-ministro no parlamento, que deverá voltar a ficar marcado pelas polémicas em torno da Caixa Geral de Depósitos (CGD). O BE indicou como tema da sua intervenção “políticas sociais, economia e relações internacionais”, cabendo-lhe a abertura da sessão de escrutínio ao executivo, seguindo-se o PSD, PS, CDS-PP, PCP, PEV e PAN.

No último debate quinzenal, coube ao primeiro-ministro a intervenção de abertura, sendo o tema escolhido o balanço do Plano Nacional de Reformas. António Costa deixou também o anúncio de que o Governo vai criar em cada ministério, comissões de avaliação, incluindo os trabalhadores, para analisar “caso a caso” todas as situações referentes a precariedade laboral na função pública. O debate ficou, contudo, marcado pelas polémicas em torno da CGD e das alegadas garantias dadas à anterior administração de não entregar declarações de rendimentos, que devem voltar a marcar a discussão entre o parlamento e o Governo.

Na terça-feira, o jornal económico ‘online’ Eco noticiou que foi a CGD quem pagou aos advogados do antigo gestor António Domingues, s sociedade Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados, pelos honorários de negociar com o Governo alterações ao estatuto do gestor público.