Dilma Rousseff diz que é “vital” que Lula da Silva possa avançar como candidato às próximas eleições presidenciais, depois de a democracia brasileira ter sido “atacada por parasitas”.

A ex-presidente brasileira está em Genebra, Suíça, para um festival de cinema focado nos temas relacionados com direitos humanos. Em declarações aos jornalistas, incluindo os da Agence France Presse (AFP), Dilma afirmou que “assegurar que Lula tem a possibilidade de se candidatar é vital, nesta altura”.

“O Lula viveu um período em que toda a imprensa estava contra ele e houve tentativas de o prender e o colocar na penitenciária”, considerou Dilma, rematando que “apesar de tudo isso, Lula continua a liderar todas as sondagens”.

Temos um encontro marcado com a democracia em 2018″, diz Dilma.

Foi, também, em Genebra que a ex-Presidente do Brasil refutou em Genebra que tenha recebido “subornos” da construtora Odebrecht ou de outras empresas, destinadas a financiar as suas campanhas presidenciais.

As últimas sondagens divulgadas no Brasil dão Lula como um candidato muito forte às presidenciais, caso consiga concorrer. Em contraste, o homem que sucedeu a Dilma, Michel Temer, não reúne mais de 10% das intenções de voto.