No sul da Índia, Kerala é um dos estados mais bonitos do país. Pela sua costa encontram-se praias imensas, rios, lagos, palmeiras e coqueiros. Uma Índia onde não há vacas pelas ruas, a maioria da população é católica, a gastronomia é do melhor e há zonas onde há mais pássaros do que pessoas. Uma Índia para conhecer com calma, com tempo para desfrutar dos passeios pelos canais, para dar uns mergulhos nas águas quentes do Índico e para se deixar envolver pelo aroma das especiarias nas ruas onde tropeçamos a cada passo com a história de Portugal.

Aqui fica o roteiro do que não pode perder na costa de Kerala.

Fort Cochim

Antiga colónia portuguesa, Património Mundial da Unesco, Fort Cochim mantém até hoje as marcas da sua longa história ligada aos descobrimentos, às especiarias, aos portugueses, ingleses e holandeses que por aqui se cruzaram desde o século XVI. É aqui que está a Igreja São Francisco, construída pelos portugueses em 1503, e que é a mais antiga igreja europeia na Índia. Foi nesta igreja que o navegador Vasco da Gama foi sepultado em 1524, tendo sido mais tarde transladado para Lisboa. Outra das peculiariedades de Fort Cochim são as redes de pesca chinesas, que são usadas desde o século XIV e que até hoje servem de forma tradicional para pescar.

As redes de pesca chinesa saltam à vista. © Catarina Serra Lopes

Onde comer

No Dal Roti, considerado um dos cinco melhores restaurantes de Fort Cochim, pode provar uma das especialidades da casa, o “kati roll”, um tipo de wrap de “lachedhar paratha” (uma massa) recheado de tudo aquilo que possa imaginar: frango, peixe, camarão, borrego, queijo paneer, ovo… Para partilhar, peça um combinado da casa que vem com dhal (sopa de lentilhas), um caril de couve flor e outro de pimentos jalapeños, um caril de frango e um roti para acompanhar com uma paratha folhada. Lilly Street, Fort Kochi. Aberto de quarta a segunda das 12h às 15h e das 18h30 às 22h. Preço médio por pessoa: 6€.

O melhor é provar várias das especialidades. © Catarina Serra Lopes

Backwaters

Vulgarmente chamados de “backwaters”, os canais de Kerala são uma das grandes maravilhas desta região. Mais de 900 quilómetros de cursos de água, no meio de uma vegetação rica, que ligam lagos, rias e rios. Vale a pena alugar um dos antigos barcos de transporte de arroz e passar pelo menos dois dias a bordo. Pelas margens pode-se ir observando a vida dos habitantes locais.

Os barcos são, naturalmente, a melhor forma de descobrir os canais. © Catarina Serra Lopes

Varkala

Varkala é uma pequena vila piscatória que começou a ser descoberta pelos estrangeiros nos anos 70, atraídos pela sua praia de areal extenso. A par dos barcos de pesca, hoje em dia há também pequenos lodges e restaurantes descontraídos virados para o mar. Ainda longe do turismo de massas, este é um bom sítio para uns dias de pés na areia ou para um simples dia de praia numa viagem pela costa.

Atualmente a região já tem vários restaurantes virados para o mar e o areal. © Catarina Serra Lopes

Onde comer

No Theeram, um restaurante de madeira com dois pisos abertos para o mar. Prove o frango com molho chettinadu, uma das especialidade de Kerala. Para acompanhar peça arroz jeera e avial (legumes com molho de coco). Praia de Papanasam. Preço médio por pessoa: 6€.

Estar no restaurante é praticamente o mesmo que estar com os pés na areia. © Catarina Serra Lopes

Kovalam

Kovalam é uma das estâncias balneares mais famosas de Kerala, boa para passar uma manhã ou uma tarde, almoçar e dar um mergulho. Tem três praias separadas por pequenos molhes, sendo a mais famosa a Lighthouse Beach que, como o nome indica, tem um farol às riscas encarnadas e brancas num dos extremos. É esta a imagem que aparece em todos os postais da zona. No paredão junto à praia alinham-se dezenas de restaurantes onde a especialidade é peixe e marisco.

A Lighthouse Beach é, como indica o nome, iluminada por um farol. © Catarina Serra Lopes

Onde ficar

No Somatheeram Resort. Fica cerca de dez quilómetros a sul de Kovalam, na Praia de Chowara, e foi o primeiro hotel ayuvérdico a aparecer na zona, na década de 1980. Um autêntico oásis com cabaninhas de madeira, uma piscina infinita e uma praia a perder de vista. Há ioga, meditação e mil e um tratamentos à base de plantas, massagens e terapias holísticas. Só médicos homeopatas são 20 ao dispor dos clientes. Chowara, sul de Kovalam, 695501 Kovalam. Quarto duplo a partir de 59€.

O hotel tem acesso direto à praia. © Catarina Serra Lopes

Poovar

Poovar é um delta magnífico onde, dizem os locais, desaguam 44 rios da Índia. É também um coqueiral a perder de vista com lagoas e riachos, ideal para os fãs de bird watching, já que a cada passo veem-se mergulhões de asas abertas a secarem ao sol, King Fischer multicolores no meio da vegetação, patos, garças, corvos e flamingos. Um cenário maravilhoso para percorrer de barco pelos braços de água fora até ao mar.

Atenção aos pássaros que andam nestas águas e nas suas imediações. © Catarina Serra Lopes

Como ir

A TAP voa de Lisboa e do Porto para Cochim em parceria com a Etihad. Tarifas a partir dos 700 euros.