Rádio Observador

Rosto

Depilar o rosto. Como, quando e porquê?

A maioria das mulheres faz depilação facial mas esta ainda é um tabu. Quer queira aparar a penugem ou arrancar o mal pela raiz, reunimos um guia com o que precisa de saber (e ainda alguns produtos).

Autor
  • Helena Magalhães

Depilar o rosto? Quem, eu? Claro que não. A verdade é que chegámos a 2017 e este (ainda) é um tema tabu: nenhuma mulher gosta de assumir que faz depilação no rosto. Mas o mais provável é que muitas o façam e exista um qualquer produto depilatório em todas as casas de banho. Por cima dos lábios, no queixo, na mandíbula, sobrancelhas e testa — as zonas do rosto feminino normalmente depiladas –, infelizmente ainda há um estigma associado aos pelos faciais que faz com que este seja um assunto que mexa com a auto-estima de muitas mulheres. Porque há quem tenha apenas aquela penugem mas também há quem tenha pelos fortes, visíveis e grandes.

Longe de ser um defeito, é apenas uma condição perfeitamente normal do corpo humano. E até algumas das mulheres mais bonitas do mundo se “barbeavam” — como Elizabeth Taylot, Marilyn Monroe ou mesmo Cleópatra — para deixar o rosto mais suave, a maquilhagem mais bonita e, acima de tudo, para ter um rosto brilhante. Então, para quem não foi afortunada com uma pele de bebé — praticamente todas as mulheres –, há muitas opções. Quer opte por deixar o trabalho na mão de profissionais, quer faça a depilação na tranquilidade (e discrição) da sua casa, eis tudo o que precisa de saber.

Como preparar a pele para a depilação?

Qualquer que seja o método de depilação que usa, será uma agressão para a pele. Então, o ideal será limpar bem o rosto, aplicar um tónico para deixar o pH equilibrado (se limpar com água micelar não precisa desta etapa) e, no fim, secar bastante bem com uma toalha. O site de beleza Byrdie acrescenta que, se faz tratamentos com retinol ou à base de ácidos, é melhor não os aplicar cinco dias antes de fazer a depilação porque deixam a pele propensa a irritações.

Quando é que não se deve fazer a depilação?

Há quatro momentos em que nunca deve fazer depilação:

  • Nos dias antes da menstruação: a pele pode estar mais sensível e sofrer alguma reação;
  • Quando se tem a pele inflamada: a depilação vai inflamar ainda mais;
  • Em períodos de acne: os químicos fortes usados em alguns cremes de depilação podem levar ao aparecimento de manchas. Além disso, a depilação pode remover a camada superficial da pele e deixar os poros expostos, o que deixa a pele mais vulnerável à entrada de bactérias e ao aumento das borbulhas;
  • E durante a exposição solar: principalmente para quem faz com cera ou cremes porque há o risco de pigmentar a pele com o sol. Durante o verão, é preciso escolher outras opções.

O que aplicar depois da depilação?

É normal a pele ficar avermelhada e sensível porque a depilação é uma agressão, ainda que mínima. O ideal será aplicar produtos calmantes com ingredientes que refrescam e acalmam como aloé vera e camomila. Se sofrer algum tipo de reação ou queimadura, o site Byrdie reforça que o melhor a fazer será aplicar cremes para queimaduras e nunca, nunca, nunca colocar produtos perfumados ou com ingredientes fortes nem apanhar sol – especialmente por cima dos lábios. Corre o risco de ficar com marcas de pigmentação (que vão parecer um bigode).

Se depilar o rosto, vou ter ainda mais pelos?

Este é um tema controverso e que vai criar eternas dúvidas. Mas esqueça este mito: os métodos depilatórios que cortam o pelo na superfície e não pela raiz (como lâminas ou cremes) nunca irão engrossar o pelo ou aumentar a seu crescimento. O que acontece é que, ao ser cortado a meio, o pelo fica com a sua parte mais grossa à superfície e, assim, cria a sensação de que nasce mais forte. Por outro lado, alguns traumas repetidos a um folículo – como a depilação com pinça – podem causar a permanente falha desse pelo (como as mulheres que fazem as sobrancelhas com pinça durante anos e perdem os pelos permanentemente).

Quais os melhores métodos de depilação facial?

  • Pinça: é o melhor método para áreas pequenas como sobrancelhas e queixo, por ser um trabalho localizado. Neste artigo, explicamos como depilar as sobrancelhas.
  • Cremes: os cremes são seguros, rápidos de usar e sem qualquer dor, ideais para o queixo, mandíbulas e zona acima do lábio. Mas há uma regra: usar apenas os cremes específicos para rosto e nunca ultrapassar o tempo recomendado.
  • Cera: é um método rápido, prático e que retira o pelo pela raiz. Pode ser usado por cima dos lábios, queixo, mandíbulas e testa com facilidade. A cera fria (a mais comum) é boa em pele normal e seca mas as peles sensíveis devem optar por cera quente.
  • Lâminas e navalhas: costumam ser o bicho-papão mas, atualmente, já existem lâminas próprias para depilação facial. A melhor forma de as usar será no banho ou logo depois porque a pele está amolecida e vai ficar menos irritada.
  • Threading: ou a depilação com linha, é uma técnica que se tornou popular nos últimos anos. É um método suave de puxar os fios pela raiz, como a cera, mas sem retirar a camada superficial da pele. Funciona melhor em áreas mais pequenas como as sobrancelhas e por cima dos lábios. Por ser difícil de fazer sem técnica, é um método para fazer com profissionais especializados.
  • Laser: para quem prefere uma solução mais permanente, já há várias formas de depilação a laser que, em várias sessões, conseguem destruir os folículos. A desvantagem? É um método mais caro e difícil para quem tem pelos muito claros ou finos. Também existem máquinas para fazer em casa mas, tal como nas clínicas, requer um investimento monetário.

Na fotogaleria, veja alguns acessórios e produtos que vão tornar a depilação facial um gesto fácil e rápido de incluir na sua rotina de beleza.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Pais e Filhos

Um pai do século XXI

David Gaivoto

Ao longo da minha experiência enquanto pai tenho também aprendido que por vezes são eles que nos educam, por vezes são eles que nos apelam à nossa consciência com a sua gigante e preciosa inocência

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)