A Coreia do Norte lançou neste domingo cerca das 22h10 de Lisboa [5h40 de segunda-feira no Extremo Oriente] um projétil não identificado, muito provavelmente um míssil balístico, a partir de uma base localizada em Wonsan, na costa leste do país. O projétil percorreu 450 quilómteros em direção a leste e trata-se de mais um numa série de testes com mísseis realizados pelas autoridades de Pyongyang.

O lançamento foi comunicado ao presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, que reuniu de emergência o conselho nacional de segurança. O projétil seria semelhante a um míssil balístico, uma evolução do SCUD. O engenho terá caído em águas territoriais do Japão, no interior da zona económica exclusiva do país, de acordo com fonte do governo nipónico, e Tóquio vai protestar junto de Pyongyang “nos termos mais fortes possíveis”.

O último teste feito pela Coreia do Norte aconteceu a 21 de maio, através do lançamento de um míssil balístico que atravessou o mar na costa leste do país. Em 2017, o país já realizou oito testes desta natureza, excluindo aquele que foi realizado neste domingo.

A 14 de maio, o regime norte-coreano anunciou ter lançado um míssil capaz de transportar uma ogiva nuclear de larga dimensão e de atingir alvos situados a “larga” distância. O Hwasong- 12 poderá percorrer 4.500 quilómetros, o que coloca o território dos Estados Unidos ao alcance da arma. Donald Trump, que foi informado pela Coreia do Sul do novo teste realizado, admitiu o uso da força militar contra a Coreia do Norte, caso Pyongyang estivesse a desenvolver mísseis habilitados a atingir solo norte-americano.