Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nem encomendas online, nem maratonas pelas lojas, nem pedidos às amigas que iam passar férias ao Brasil. Quando Marta Fonseca queria um fato de banho ou um biquíni, sentava-se à secretária e desenhava o que pretendia. Depois, era só mandar fazer. A pouco e pouco, família e amigas começaram a pedir-lhe também que desenhasse modelos para elas. A irmã, Inês Fonseca, e Fernanda Santos, agente têxtil, viram logo uma oportunidade de negócio. E assim nasceu a Latitid.

Em 2013, as três registaram a marca e fizeram mil peças, para testar a receção do público. Começaram com as vendas online, pouco tempo depois seguiu-se um showroom numa das principais ruas comerciais do país, a Rua Garrett, em Lisboa, outro em Leça da Palmeira, mais perto da praia, e ainda a Vila Joya, no Algarve. Correu bem. Inês Fonseca deixou o trabalho na Unilever e ficou com a área financeira, do marketing e das vendas, e Marta Fonseca disse adeus à Parfois e continuou a desenhar biquínis e fatos de banho, mas agora a tempo inteiro, para todas as mulheres que os queiram comprar.

Fato de banho “Gelato” (103€). © Latitid

Atualmente, quem quisesse experimentar um dos modelos da Latitid tinha de marcar hora no showroom da Rua da Senhora da Luz, no Porto, ir até à Embaixada, em Lisboa, onde há uma loja pop-up, ou ao Quinta Shopping, na Quinta do Lago, no Algarve. A partir de quinta-feira, a marca tem finalmente um espaço próprio de portas abertas todo o ano. Fica também na Rua da Senhora da Luz, na Foz, a poucos passos da Praia do Ourigo.

No entanto, é para a ilha de Capri que Marta Fonseca quer remeter os clientes com a nova coleção. “Latitid deriva da palavra latitude porque a minha irmã inspira-se numa cidade diferente todos os anos e a coleção tem o nome dessa latitude”, explica Inês. A primeira coleção foi inspirada no Porto, a cidade das três sócias. O ano passado, a eleita foi Istambul. Para este verão, a imaginação viajou até à ilha italiana. “Tentamos sempre arranjar cidades que nos digam alguma coisa e que também estejam dentro das tendências do que se vai usar”, explica Marta.

Na loja há vários modelos em exposição (e provadores para quem quiser experimentar). © Anselmo G. Teixeira / Divulgação

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na Latitid, as tendências deste verão passam muito pelo fato de banho, “que veio para ficar”, confidencia a designer. Em termos de cortes, nos biquínis mantém-se a procura pelos tops subidos e caem os lacinhos das cuecas, que se querem agora mais simples. A nível de cores, “branco, sem dúvida”, verde garrafa e azul petróleo. Nos estampados, predominam os tropicais.

Quanto à latitude da marca, todas as direções apontam para Portugal: tanto o design quanto a produção são nacionais. Em termos de materiais, uma das novidades é o uso de licras com texturas. Na nova loja haverá também algumas saídas de praia, macacões, bolsas e umas pulseiras da marca espanhola Guanabana.

Biquíni “Limoncello” (91,50€). © Latitid

Em meados de junho há outra novidade, mais a sul. “Estamos quase a abrir uma loja pop-up na Casa da Cultura, no centro da Comporta”, explica Inês Fonseca. De norte a sul do país, os biquínis custam entre 90€ e 92,50€ e os fatos de banho variam entre os 95€ e os 115€. Ao todo, a coleção Capri tem 24 modelos diferentes e cada um está disponível em três cores. Inês e Marta podem não ter as águas cristalinas e a paisagem de Capri na nova loja, mas prometem uma novidade todas as semanas. Para que os clientes saiam de lá tão satisfeitos como se tivessem estado de férias.

Nome: Latitid
Morada: Rua Senhora da Luz, 81, Porto (Foz)
Horário: De segunda a sexta das 10h30 às 19h, sábado das 10h30 às 15h e das 16h às 19h30
Site: www.latitid.com