Mogherini, sublinhou esta quarta-feira que o acesso à informação é “essencial” para a governação responsável, referindo-se à suspensão de atividades da RDP e RTP na Guiné-Bissau.

Em 30 de junho, o governo da Guiné-Bissau anunciou a suspensão das atividades da RDP-África e RTP-África [no país]. A liberdade de expressão e o acesso à informação pelos cidadãos são uma parte essencial da governação responsável”, refere a Alta Representante para a Política Externa da UE.

O comunicado refere ainda que o trabalho dos media é, em “períodos de tensão política”, essencial “para um diálogo construtivo que reforça a sociedade”. O comunicado lembra ainda que a liberdade de imprensa está consagrada na Constituição da Guiné-Bissau.

No dia 30 de junho, o ministro da Comunicação Social da Guiné-Bissau, Vítor Pereira, anunciou, a suspensão das atividades da RTP, RDP e da agência Lusa, tendo depois recuado em relação à agência de notícias portuguesa naquele país.