O gambá, ou opossum como lhe chamam os ingleses, é um mamífero conhecido por se fazer de morto quando se sente ameaçado. Mas são as imagens da fêmea coberta de crias, transportando-as para todo o lado, que se tornam virais na Internet e nas redes sociais, invariavelmente arrancando suspiros aos mais sensíveis ao efeito “aaaahhhhhhhh”.

A tarefa parece – e é – difícil. Mas nem só de fardos é feita a vida destas fêmeas. São, por exemplo, poupadas às dores do parto: as crias nascem poucos dias depois do acasalamento e saem do útero maternal pelo próprio pé. São imensas, mas cabem todas numa colher de chá de tão minúsculas!

Durante cerca de dois meses escondem-se na bolsa marsupial da mãe para depois, já mais crescidas, subirem para as suas costas. Ali ficam mais dois ou três meses, aprendendo a defender-se e a procurar alimentos. Quando deixam as costas da mãe, os pequenos gambás já estão prontos para a vida adulta, para procriar e para tudo voltar ao início!

Aaaahhhhhhhh… vida de mãe gambá é mesmo estranha!

[jwplatform EgUip1nH]