Uma publicação de Barack Obama a condenar o racismo tornou-se o tweet mais popular de sempre: mais de três milhões de ‘likes’. As declarações surgiram no seguimento da manifestação de extremistas em Charlottesville, nos EUA.

“Ninguém nasce a odiar outra pessoa devido à cor da sua pele, ao seu passado ou religião”, escreveu o ex-presidente dos EUA, citando Nelson Mandela. O pedido de tolerância e paz tornou-se o mais popular na rede social, com três milhões de ‘gostos’. “As pessoas têm de aprender a odiar e, se conseguem aprender a odiar, também podem ser ensinadas a amar”.

A frase, publicada em conjunto com uma foto do ex-presidente com crianças de várias etnias, contrasta com a reação de Trump, que afirma existir culpa em ambos os lados, no que à marcha dos supremacistas brancos diz respeito.

Mais de 6.000 pessoas participaram naquela que foi a maior marcha de extrema-direita das últimas décadas, com bandeiras nazis, roupões brancos do Ku Klux Klan e gritos de ódio, em Charlottesville.