563kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Furacão Irma foi o pior de todos os tempos e bateu números recorde

Este artigo tem mais de 5 anos

Arrisca-se a ser o pior furacão de sempre. O Irma bateu recordes e desde danos materiais até à retirada de pessoas, foi responsável por cenários nunca antes vistos nos Estados Unidos.

i

ERIK S. LESSER/EPA

ERIK S. LESSER/EPA

Os números não deixam dúvidas: o furacão Irma bateu recordes enquanto fenómeno meteorológico, mas também em termos humanos. Desde ventos que percorreram mais de 70.000 quilómetros quadrados e que “varreram” as ilhas das Caraíbas, até tempestades que deixaram o estado da Florida irreconhecível, o Irma ultrapassou todos os recordes em apenas 11 dias de atividade.

Agora mais calmo, o Irma chegou a atingir ventos de quase 300 quilómetros por hora. Quase que atingia o recordista Allen, o furacão de 1980 que chegou a ventos de 305 quilómetros por hora. Ainda assim, o Irma destaca-se por ter sido o furacão que durante mais tempo registou esses valores tão elevados, ao manter-se com ventos tão elevados durante 37 horas.

O Irma foi o primeiro furacão no Atlântico, desde o “Hugo” de 1989, a atingir a categoria 5. Permaneceu durante esse estado durante uma média de 3 dias. Foi também a primeira vez que, num tão curto espaço de tempo, dois furacões assolaram os Estados Unidos, atingindo a categoria de nível 4. O dano causado por ambos leva a crer que 2017 seja considerado o ano mais caro em despesas relacionadas com estes furacões.

O Irma conseguiu também ser o furacão com maior energia acumulada. Da acordo com o National Oceanic and Atmospheric Administration, que mediu o nível de força enquanto ciclone, o Irma conseguiu ser o furacão com uma Energia Acumulada de Ciclone de 66.8 — seis vezes mais forte do que o Harvey, com um valor de 11.1.

Os dados relativos ao número de pessoas retiradas de suas casas e à operação de evacuação levadas a cabo mostram que o Irma foi responsável pela retirada de mais de 5.000 pessoas das ilhas das Caraíbas e de mais de seis milhões no estado da Florida. Foi a maior evacuação na história norte-americana.

Furacão Irma passa a tempestade tropical. Ventos e cheias são o maior problema

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.