A presidência russa qualificou esta quinta-feira como “terrorismo telefónico” centenas de falsos alertas de bomba feitos pelo telemóvel, nos últimos dias, contra locais públicos na Rússia.

Isto é, sem dúvida, terrorismo e vandalismo telefónico“, disse aos jornalistas Dmitry Peskov, porta-voz do Presidente Russo, Vladimir Putin. Segundo o porta-voz, “estão a ser tomadas todas as medidas necessárias” para encontrar os autores dos telefonemas.

De acordo com a EFE, mais de 20 escolas foram esta quinta-feira evacuadas na capital russa, tendo sido retiradas mais de 15 mil pessoas dos estabelecimentos. Também hoje, em São Petersburgo, foram evacuados todos os grandes centros comerciais, num total de doze, e ainda um outro em Kazán. As autoridades adiantaram que nos últimos três dias foram evacuados 500 edifícios, entre eles órgãos oficiais, escolas e centros comerciais, e retiradas 150 mil pessoas e não foram encontradas bombas.

As chamadas anónimas começaram na segunda-feira, na zona ocidental da Rússia, e espalharam-se na terça-feira a cidades de todo o país.