Antigos trabalhadores da extinta Empresa Nacional de Urânio (ENU) que vivem na Urgeiriça, no concelho de Nelas, realizam na terça-feira à noite uma vigília em protesto pela falta de recuperação de casas alegadamente afetadas pela radioatividade.

Numa moção, os antigos trabalhadores da ENU — que durante décadas foi responsável pela exploração das minas de urânio em Portugal – referem que são “evidentes os perigos da exposição aos valores de radão a que determinados moradores da Urgeiriça estão expostos”, por terem “comprado a sua habitação à ENU/Estado”.

Uma vez que está “por realizar a leitura radiológica para assim os moradores ficarem a saber quais os níveis de radiação que as suas casas podem conter” e que foi dado um prazo, já ultrapassado, “para que os trabalhos, quer de recuperação, quer de medição, se iniciassem”, decidiram realizar uma vigília.Para os moradores, está em causa um crime, “tendo em conta que são conhecidos pela EDM (Empresa de Desenvolvimento Mineiro) e pelo Governo os riscos” para a saúde a que estão sujeitos.

Os moradores que são antigos trabalhadores da ENU querem “que sejam de imediato iniciados os trabalhos de recuperação das casas já referenciadas” e “que se inicie de imediato a leitura de radiação das casas que ainda não foram analisadas”.

Como estas reivindicações não foram, “de imediato”, atendidas, a Associação dos ex-trabalhadores das Minas de Urânio vai apresentar, “em nome dos moradores da Urgeiriça, uma queixa-crime junto do Procurador da República e do Tribunal dos Direito Humanos”, acrescentam. A vigília realiza-se junto às antigas instalações da ENU.