Rádio Observador

Koenigsegg

Koenigsegg riu por último… Agera RS humilha Chiron

172

Se ficou surpreendido com os 41,96 segundos feitos pelo Bugatti Chiron, no desafio 0-400-0 km/h, saiba que isso já é passado. Culpa do Koenigsegg Agera RS, que fez o mesmo, mas melhor: 36,44 segundos!

Autor
  • Francisco António

Depois daquele que muitos consideram o melhor e mais luxuoso dos superdesportivos, o Bugatti Chiron, ter fixado um novo recorde na aceleração dos 0 aos 400 km/h e regresso aos 0 km/h, estabelecendo como marca uns surpreendentes 41,96 segundos, eis que o modelo francês acaba de ser literalmente cilindrado, na sua proeza, por um adversário sueco: nada mais, nada menos que o Koenigsegg Agera RS. O qual conseguiu repetir o feito, retirando 5,5 segundos à anterior marca. Ou seja, em apenas 36,44 segundos.

Segundo revela o fabricante de Ängelholm, o Agera RS conseguiu ser mais rápido que o Chiron, sobretudo, na primeira parte do desafio, isto é, na aceleração de 0 as 400 km/h, tendo demorado apenas 26,88 segundos a atingir a velocidade em causa. Algo que, segundo informações divulgadas pela própria Bugatti, o carro francês fez em 32,6 segundos.

O novo recorde fixado pelo Koenigsegg Agera RS foi alcançado com o piloto de fábrica Niklas Lilja ao volante, numa pista do Aeródromo de Vandel, na Dinamarca, durante uma tentativa realizada no passado dia 1 de Outubro. Para apurar os resultados, o fabricante sueco não só instalou um equipamento de recolha de dados no veículo, como recorreu à tecnologia GPS. E a “bomba” sueca só teve de sofrer um ligeiro ajuste na inclinação da asa traseira.

Ainda segundos os dados obtidos a bordo, o piloto conseguiu levar o Agera RS até aos 402 km/h, tendo demorado apenas 37,28 segundos a fazê-lo. O que, refira-se, continua a ser mais rápido que o Bugatti.

O recorde foi alcançado na sequência de um pedido de um cliente, “que se mostrou muito interessado em perceber as capacidades do carro, comparativamente a outros concorrentes”, revela a Koenigsegg. Acrescentando que o superdesportivo utilizado no bater do recorde vai agora ser entregue ao seu futuro proprietário, o qual reside nos EUA.

A unidade em questão é uma versão do Agera RS com potência aumentada, para os 1.341 cv, valor que, ainda assim, deixa o superdesportivo sueco aquém do Chiron na potência anunciada. Isto, porque o bólide francês declara, à partida, 1.500 cv.

Por outro lado, o Agera contava com gaiola de segurança amovível, para uma maior segurança dos ocupantes, em pista, com a Koenigsegg a destacar igualmente o facto de o piso do aeródromo de Vandel não ser o ideal. O fabricante queixa-se que o alcatrão não garantia a melhor tracção, tendo levado a que o Agera RS registasse, segundo os instrumentos de bordo, alguns problemas de motricidade, com as rodas a patinar, no engrenar das primeiras três relações da caixa de velocidades.

Como tal, a Koenigsegg acredita ser possível melhorar ainda mais a marca alcançada. Estando, neste momento, a preparar já uma nova tentativa, para fixar um novo recorde na aceleração dos 0 aos 400 km/h e regresso aos 0 km/h. Desta feita, com o seu “modelo de entrada”, Regera, o qual a marca acredita ser “o mais adequado para esta tarefa”.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)