Celebridades

Lupita Nyong’o acusa revista de lhe fazer ‘photoshop’ ao cabelo

A atriz vencedora de um Óscar criticou a revista Grazia por ter removido parte do seu cabelo da capa da edição de novembro.

Lupita Nyong'o: "ainda há um caminho longo a percorrer para combater o preconceito"

Alberto E. Rodriguez/Getty Images for Disney

Lupita Nyong’o acusou a versão britânica da revista Grazia de ter feito manipulação com ‘Photoshop’ à imagem que fez capa na edição de novembro, removendo e editando partes do seu cabelo para se enquadrar “numa noção mais eurocêntrica daquilo que é cabelo bonito”.

A atriz vencedora de um Óscar publicou a crítica e as imagens originais nas suas páginas do Twitter e Instagram, o que levou a um pedido de desculpas por parte da publicação britânica.

As I have made clear so often in the past with every fiber of my being, I embrace my natural heritage and despite having grown up thinking light skin and straight, silky hair were the standards of beauty, I now know that my dark skin and kinky, coily hair are beautiful too. Being featured on the cover of a magazine fulfills me as it is an opportunity to show other dark, kinky-haired people, and particularly our children, that they are beautiful just the way they are. I am disappointed that @graziauk invited me to be on their cover and then edited out and smoothed my hair to fit their notion of what beautiful hair looks like. Had I been consulted, I would have explained that I cannot support or condone the omission of what is my native heritage with the intention that they appreciate that there is still a very long way to go to combat the unconscious prejudice against black women's complexion, hair style and texture. #dtmh

A post shared by Lupita Nyong'o (@lupitanyongo) on

No Twitter, Nyong’o diz estar “desapontada” pela revista ter “editado e suavizado o [seu] cabelo para se enquadrar numa visão mais eurocêntrica daquilo que é um cabelo bonito”. No Instagram, a atriz queniana afirmou abraçar “a [sua] herança natural e, apesar de ter crescido a pensar que pele clara e cabelo liso e sedoso eram os padrões de beleza, agora sabe que a [sua] pele escura e o cabelo encaracolado também são bonitos”.

A atriz diz ainda que, caso “tivesse sido consultada”, teria explicado que não pode “apoiar a omissão daquilo que é a [sua] herança nativa”, acrescentando que “ainda há um caminho longo a percorrer para combater o preconceito inconsciente contra a complexão, estilo de cabelo e textura da mulher negra”.

A Grazia britânica, na sua página do Instagram, pediu desculpas “incondicionalmente” e disse estar “empenhada em representar diversidade” e que não fez “nenhum pedido editorial” ao fotógrafo para editar a imagem nem o fizeram eles próprios.

A post shared by Grazia UK (@graziauk) on

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
caderno de apontamentos

O que vale a Educação? /premium

Assunção Flores

É fundamental questionar e repensar modos de recrutamento e seleção de professores, mas também refletir sobre a sua formação, inicial e contínua, e já agora sobre a sua avaliação, de modo consistente.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)