457kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

"Estou a apanhar por tabela", revolta-se Tchizé dos Santos

Este artigo tem mais de 4 anos

Depois de João Lourenço ordenar o fim dos contratos que a empresa de Tchizé dos Santos tinha com a TPA, a filha de Eduardo dos Santos reagiu nas redes sociais. E diz que merece uma "comenda".

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Horas depois de o novo Presidente de Angola, João Lourenço, ter ordenado a cessação dos contratos entre a Televisão Pública de Angola (TPA) e a Semba Comunicações, uma das responsáveis pela empresa, Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos, reagiu em diferentes ocasiões nas redes sociais.

A Semba Comunicações — que pertence em partes iguais a Tchizé dos Santos e a Coréon Dú, outro filho do antigo Presidente — era responsável pela gestão do Canal 2 da TPA e também da TPA Internacional. Esta quarta-feira, no mesmo dia em que exonerou Isabel dos Santos do cargo de presidente do conselho de administração da Sonangol, João Lourenço cancelou o contrato com os filhos do Presidente. Tchizé dos Santos, cujo nome oficial é Welwitschea dos Santos, é deputada pelo MPLA e faz parte do Comité Central do partido.

“Bendizei os que vos amaldiçoam, orai por aqueles que vos difamam.” É essa a frase que se pode ler numa imagem que partilhou na sua conta de Facebook, onde conta com quase 130 mil seguidores.

Se no Facebook a mensagem foi curta e enigmática, Tchizé dos Santos foi mais extensa e direta num grupo de Whatsapp. Segundo o Club-K, site de notícias crítico do regime angolano, Tchizé dos Santos disse que estava a “apanhar por tabela em fogo cruzado não sei vindo de onde… nem contra quem” e escreveu que continua a “sonhar que um dia um PR [Presidente da República] de Angola me outorgará um certificado de mérito, uma comenda pelos serviços à pátria”.

Exonerações de João Lourenço chegaram aos filhos do ex-PR angolano ao 50.º dia

Na mesma sucessão de mensagens, Tchizé dos Santos recorda ainda a sua entrada na TPA, depois de estudar numa “universidade americana, graças ao Estado do MPLA” e agradece a várias mulheres que classifica de “minhas eternas CHEFES”.

Leia aqui as mensagens em causa, publicadas em primeira mão pelo Club-K:

[11/15, 15:59] Tchizé dos Santos: Eu, cidadã Welwitschea José dos Santos agradeço profundamente ao MPLA pela independência que hoje vivemos

[11/15, 15:59] Tchizé dos Santos: Agradeço profundamente ao Presidente António Agostinho Neto pela nossa libertação

Agradeço profundamente ao Presidente José Eduardo dos Santos pela paz, pela estabilizador social e política, pela instituição da livre iniciativa e direito à propriedade privada, da qual hoje usufruem grande parte dos cidadãos, dirigentes e ex-dirigentes, empresários e outros membros desta elite e que não existia, quando a propriedade privada e livre iniciativa empresarial era crime próprio de “burgueses”, que eram os alvos a abater pelo próprio MPLA

[11/15, 15:59] Tchizé dos Santos: *estabilidade política e social

[11/15, 16:00] Tchizé dos Santos: E agradeço ao Dr. Fernando Cunha, então diretor geral da TPA por um dia ter acreditado numa jovem formada numa universidade americana, graças ao Estado angolano, em produção de imprensa com especialização em televisão, para que pudesse, iniciar a grande revolução na televisão angolana e a sua tão ansiada Internacionalização que, aos então 33 anos de existência nenhum técnico nacional havia conseguido materializar, sendo que a TPA já tinha mais de 2.000 trabalhadores, trajetória da qual muito me orgulho e cujo mérito despacho algum jamais me irá retirar.

[11/15, 16:04] Tchize dos Santos: A TPA tinha mais de 2000 funcionários, 33 anos de existência, tinham havido variados ministros, vários Directores

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Mas foi Fernando Cunha, Director Geral da TPA em 2008 e Manuel Rabelais, Ministro da Tutela que conseguiram. Não acreditavam em mim e quiçá por isso me aceitaram dar o mandato e o prazo de 6 meses para realizar a tarefa

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Mais não digo

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Deixarei que um dia sejam os profissionais da área que comigo trabalharam a falar de mim

[11/15, 16:05] Tchize dos Santos: Boa tarde camaradas

[11/15, 16:13] Tchize dos Santos: Serei SEMPRE grata às pessoas a quem devo os cargos que ocupo:Falecida Cda Alice Dombolo, Cda Beatriz Alonso, Cda Luzia inglês “Inga”, Cda Carolina Cerqueira, Cda Isabel Malunga, Cda Eulália Da Rocha

[11/15, 16:13] Tchize dos Santos: Minhas eternas CHEFES

[11/15, 16:15] Tchize dos Santos: Gratidão

[11/15, 16:17] Tchize dos Santos: SEMPRE

[11/15, 16:17] Tchize dos Santos: Mas continuo a sonhar que um dia um PR de Angola me outorgara um certificado de mérito, uma comenda pelos serviços à pátria, pela minha contribuição para a comunicação social angolana e pelo papel fundamental na criação e lançamento da mais internacional empresa pública angolana.

[11/15, 16:18] Tchize dos Santos: Sonhar é de graça e tenho a noção que mereço

[11/15, 16:18] Tchize dos Santos: Ainda muitos PR virão e eu ainda sou bastante jovem. Posso esperar.

[11/15, 16:18] Tchize dos Santos: Sei que estou a apanhar por tabela em fogo cruzado não sei vindo de onde…nem contra quem…

Agora é oficial. Isabel dos Santos exonerada da Sonangol pelo Presidente da República de Angola

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.