Rádio Observador

Dinheiro

Criptomoeda portuguesa fica a valer mais de 650 milhões de euros em 24 horas

1.622

A moeda virtual da Aptoide, a Appcoins, conseguiu, 24 horas após ter sido lançada no Binance, um mercado de criptomoedas, uma valorização de 800 milhões de dólares.

As Appcoins é a primeira critomoeda portuguesa. Na fotografia: Paulo Trezentos e Álvaro Pinto, os criadores

Aptoide

A Aptoide, em outubro de 2017, durante a Web Summit, tornou-se na primeira loja de apps do mundo a ter uma moeda virtual. Na última sexta-feira, no espaço de um dia, tornou-se numa das três criptomoedas mais transacionadas do Binance, um dos maiores mercados de trocas de moedas digitais, graças às suas Appcoins. Com o feito alcançou uma valorização de cerca de 800 milhões de dólares (cerca de 668,5 milhões de euros).

É através da Ethereum, a segunda moeda virtual mais utilizada a seguir à Bitcoin, que a Apptoide lançou a Appcoins. Foi depois da ICO — uma oferta inicial de moedas — na Web Summit, que as primeiras unidades das Appcoins começaram a ser emitidas. A Aptoide, empresa de Paulo Trezentos e Álvaro Pinto, tem mais de 200 milhões de utilizadores em todo o mundo, mas as moedas podem ser utilizadas noutras aplicações.

No Twitter, Paulo Trezentos, presidente executivo da empresa, agradeceu a confiança dos investidores. “Todas as moedas têm especulação no preço, mas estar no top 3 do volume de transações do Binance significa que muitas pessoas no mundo acreditam que o blockchain por acabar com o monopólio das lojas de aplicações da Google e Apple”, disse Paulo Trezentos no Twitter. O protocolo informático blockchain é o que permite efetuar transações virtuais entre pessoas e organizações, sem intermediários. É pela ausência de terceiros nas transações que a criptomoedas têm gerado tanto interesse. (Ficou com dúvidas sobre o que é blockchain? Leia o especial do Observador)

O executivo deixou um aviso aos investidores: “atenção ao investimentos nas APPC [Appcoins]. Até os tokens [unidades de criptomoedas] mais sólidos são voláteis”. Quanto ao futuro das Appcoins, é tão incerto como o das criptomoedas. No entanto, Paulo Trezentos aproveitou o anúncio da entrada bem-sucedida em mercado para dizer que “nos próximos dias” vão surgir mais novidades. A cada duas semanas a empresa vai atualizar os objetivos do projeto na página oficial, diz ainda o executivo.

Fundada em 2011, por Paulo Trezentos e Álvaro Pinto (que se junto ao projeto em 2012), a Aptoide disponibiliza apps para smartphones, tablets e até SmartTV com sistema Android. A empresa tem “ambição global”, dizem os fundadores, estando sediada em Lisboa e tendo já escritórios em Singapura e Shenzen (China). A loja de aplicações está disponível em mais de 40 línguas.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)