O Executivo francês decidiu iniciar uma nova cruzada contra a sinistralidade nas estradas do país, combatendo não apenas a condução sob efeito do álcool, as manobras perigosas e o excesso de velocidade, como também aquela que é, hoje em dia, uma das práticas que mais acidentes causa: a utilização do telefone enquanto se conduz. As penalizações previstas na legislação agora aprovada são tudo menos meigas, prevendo mesmo à retirada da licença de condução.

Entre as 18 medidas agora anunciadas pela imprensa francesa consta a redução na velocidade máxima permitida, nas vias secundárias, de 90 para 80 km/h, como já aqui tínhamos antecipado. Outra das determinações é a instalação obrigatória de um sistema de bloqueio do automóvel, que não permita ligar o carro, no caso de condutores que, já tendo sido apanhados a conduzir embriagados, tentem voltar a fazê-lo.

Mas, ainda mais abrangente, pela quantidade de condutores que certamente abarcará (quantos de nós é que podem dizer que nunca mexeram no telemóvel, enquanto conduziam?), é a decisão de retirar a carta, por um período de seis meses, aos condutores que sejam apanhados com o telemóvel na mão enquanto conduzem. Já a partir de 2019.

Segundo o Figaro, esta infracção, que neste momento implica o pagamento de uma multa de 135€ e a perda de três pontos na carta, só será penalizada com a retirada da carta nos casos mais graves. Ou seja, quando o condutor, além de ir ao telefone enquanto conduz, colocar em perigo outros condutores ou transeuntes. Ou, então, quando cometa outras infracções, em virtude da distracção provocada pela utilização do telemóvel.