Seriam 10h45 desta quarta-feira e o treino já estaria a decorrer quando o grupo de adeptos, cerca de 30, não identificados com as cores nem com o emblema do clube, alguns deles encapuzados, invadiram o complexo desportivo do Vitória de Guimarães e o relvado.

Primeiro, avança o Guimarães Digital, ameaçaram verbalmente os jogadores dirigidos por Pedro Martins, depois chegaram mesmo a agredir alguns.

Não é a primeira vez esta época que adeptos do clube vimaranense se deslocam ao Complexo Desportivo Dr. António Pimenta Machado para “pedirem explicações” ao treinador do Vitória, que segue em 9º lugar na Primeira Liga, com 18 pontos.

As agressões a jogadores também não são inéditas: em setembro de 2011, o marroquino Abdelghani Faouzi foi vítima de adeptos durante um treino, o primeiro da equipa sob o comando de Rui Vitória, e depois perseguido até casa. Dias depois, em entrevista, o avançado revelou que chegou a ser ameaçado de morte e que, com medo, optou por mandar a mulher e o filho de volta para Marrocos.

O Vitória de Guimarães reagiu ao início da tarde com um comunicado publicado no seu site, onde classifica a invasão dos adeptos como uma “clara tentativa de intimidação do grupo de trabalho” e garante que “tomará de imediato todas as medidas legais ao seu dispor, de forma a identificar e responsabilizar os que praticaram este ato vil”.