O Partido Popular Europeu (PPE) fez uma proposta, à qual o Expresso teve acesso, na qual pede um debate sobre as “alegações contra o ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo”. É pedido que o debate decorra no plenário da próxima semana em Estrasburgo, “com declarações da Comissão Europeia e do Conselho” mas “sem resolução final”.

Em causa está o pedido de lugares para assistir ao Benfica-FC Porto pelo gabinete de Mário Centeno — uma notícia avançada pelo Observador — para que o ministro e o filho assistissem ao clássico na tribuna presidencial do Estádio. Um pedido que poderá configurar o recebimento ilícito de vantagem, em troca do “favor” do acelerar um processo de isenção de IMI de uma empresa dos filhos do presidente do Benfica na câmara de Lisboa. O Ministério Público está a investigar se há relação entre os dois acontecimentos.

Ministro das Finanças pediu lugares para si e para o filho para o Benfica-Porto da época passada

Antes que o assunto seja levado a plenário, os líderes dos partidos do Parlamento Europeu reúnem-se esta quinta-feira para discutir o pedido do PPE. Caso haja maioria, o pedido é aceite e as “alegações contra o ministro das Finanças português e presidente do Eurogrupo” vão ser debatidas em plenário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O PS, o PSD e o PCP estão contra este pedido. O eurodeputado do PS, Carlos Zorrinho, em declarações ao mesmo jornal, considerou a proposta “absurda, absolutamente extemporânea” e uma forma de “usar o Parlamento Europeu para denegrir Portugal”. Paulo Rangel, do PSD, não vê motivo para um pedido que “não faz sentido”. O Grupo da Esquerda Unitária, de cuja bancada fazem parte o PCP e Bloco de Esquerda, e o Grupo dos Sociais e Democratas, de que faz parte o PS, vão opor-se ao debate, segundo o Expresso.