O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, criticou este domingo o FBI por não ter investigado o atacante que matou 17 pessoas num tiroteio numa escola na Florida esta semana depois de ter recebido informações sobre esta ameaça.

“É muito triste que o FBI não tenha percebido todos os sinais do atirador da escola na Florida. Isto não é aceitável. Estão a desperdiçar demasiado tempo a tentar provar o conluio da Rússia com a campanha Trump – não há nenhum conluio. Voltem ao essencial e deixem-nos orgulhosos”, escreveu Trump num tweet publicado esta noite.

Na última terça-feira, Nikolas Cruz, um jovem de 19 anos, entrou na escola secundária de Parkland, onde tinha estudado, e matou 17 pessoas a tiro.

Soube-se pouco depois que o ex-aluno estava identificado como potencial atacante. Em setembro do ano passado, o FBI recebeu a informação de que um utilizador chamado “nikolas cruz” tinha escrito num comentário do YouTube que iria ser um “atirador profissional numa escola”.

Na sexta-feira, o FBI admitiu que tinha recebido uma denúncia posterior sobre o mesmo indivíduo e que não seguiu o protocolo. “As informações não foram encaminhadas para o departamento do FBI em Miami e nenhuma investigação foi realizada naquele momento”, informou o FBI em comunicado.

O Governador da Florida, Rick Scott, já exigiu publicamente a demissão do diretor do FBI. “A falha do FBI ao não atuar contra este assassino é inaceitável. O diretor do FBI tem que se demitir”, disse Scott.