Rádio Observador

Nigéria

Exército da Nigéria resgata 149 sequestrados pelo Boko Haram

Foram resgatadas 95 crianças e 44 mulheres que tinham sido raptadas pelo Boko Haram, na Nigéria. As operações de resgate realizaram-se no sábado e foram abatidos 3 membros da organização.

LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Exército da Nigéria resgatou 149 pessoas — 95 crianças e 44 mulheres — que foram raptadas pela organização jihadista Boko Haram, indicaram esta segunda-feira fontes governamentais citadas pela agência noticiosa espanhola EFE.

As operações de resgate realizaram-se no sábado na zona de floresta de Sambisa, no Estado de Borno (nordeste), principal bastião do Boko Haram, tendo as forças armadas nigerianas abatido três membros da organização jihadista e detido outros três.

O Exército nigeriano não indicou se houve baixas entre os militares. Segundo as fontes, os 149 libertados já receberam assistência médica e, posteriormente, foram identificados.

Apesar de o Governo nigeriano assegurar que está a ganhar a guerra ao Boko Haram, o grupo islamita foi, em fevereiro último, protagonista de um sequestro de 113 estudantes de um instituto feminino na localidade de Dapchi, no Estado de Yobe (também no nordeste do país), permanecendo apenas uma rapariga em cativeiro.

O incidente de fevereiro recordou o sequestro de 2014, em que mais de 200 raparigas da localidade de Chibok foram raptadas, também no Estado de Borno, havendo ainda 112 por libertar. As fontes do Exército nigeriano não indicaram se algumas das raparigas raptadas em 2014 estão entre as resgatadas no sábado.

O Boko Haram, que em línguas locais significa “a educação não islâmica é pecado”, luta por impor um Estado de cariz islâmico na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristã no sul.

A 26 de março passado, o Governo nigeriano de Muhammadu Buhari anunciou que estava a negociar um cessar-fogo com o Boko Haram, que nos últimos anos provocou mais de 20 mil mortos e cerca de dois milhões de deslocados.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Brasil

Em nome do Brasil, peço desculpas /premium

Ruth Manus

Não, eu não elegi este governo. Mas o meu país o fez. Parte por acreditar na política do ódio, parte por ignorância, parte por ser vítima das tantas fake news produzidas ao longo do processo eleitoral

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)