Vieira da Silva

Vieira da Silva afirma que fluxos migratórios vão influenciar quadro comunitário pós 2020

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social disse esta segunda-feira que os fluxos migratórios vão influenciar a negociação do quadro comunitário plurianual pós 2020.

MÁRIO CRUZ/LUSA

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, disse esta segunda-feira na Assembleia da República, que os fluxos migratórios vão influenciar a negociação do quadro comunitário plurianual pós 2020. “Estamos numa fase preliminar do novo programa, mas a transformação pelos fluxos migratórios vai influenciar o debate que vai existir à escala europeia”, disse Vieira da Silva, durante uma audição parlamentar na Comissão Eventual de Acompanhamento do Processo de Definição da “Estratégia Portugal 2030”.

Para o governante, outro fator que vai influenciar o próximo quadro financeiro é o pilar europeu dos direitos sociais. “A discussão gira em torno de se o pilar europeu dos direitos sociais deverá ser o principal quadro formador no programa, no domínio do fundo social europeu. O Governo português não partilha dessa perspetiva, [pois], o pilar, é algo vasto que vai desde as questões do trabalho […], aos cuidados infantis, um leque muito amplo, com questões que ultrapassam a programação financeira”, explicou.

Durante a sua intervenção, o ministro do Trabalho identificou ainda algumas áreas tidas para o Governo português como “estruturantes”, no âmbito do novo quadro, tais como a maior inclusão a nível de igualdade e tornar o país mais competitivo e sustentável.

“Obviamente que o primeiro pilar é mais amplo, mas tem algumas dimensões cuja emergência é mais significativa, [tais como] as questões da promoção do combate ao inverno demográfico. Não é, tradicionalmente, uma área chave dos programas à escala europeia, mas ela está presente no pilar dos direitos sociais e terá um impacto muito relevante”, vincou. Já no que concerne ao segundo eixo, Vieira da Silva disse que a “inovação e a qualificação” têm uma incidência “muito forte” nas áreas da educação, ciência, trabalho e segurança social.

Vieira da Silva referiu ainda que existem algumas áreas críticas no país, que classificou como “fraturas”, que vão “interpelar inevitavelmente a identificação de prioridades do próximo período de programação financeira”, de que são exemplo “a significativa bipolarização geracional” no que toca às qualificações, uma vez que os níveis de qualificação têm disparidades maiores do que aquelas que acontecem noutros países da Europa. Para além disto, o ministro do Trabalho notou que, mesmo na geração mais qualificada, verificam-se dificuldades na inserção “bem-sucedida” no mercado de trabalho.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A culpa agora é do Costa /premium

Alexandre Homem Cristo
1.020

Há cada vez mais evidências dos erros do governo e deixou de ser plausível a responsabilização de terceiros. A culpa já não é do Passos. A partir de 2019, tudo muda: a culpa agora é do Costa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)