Pensava que era apenas uma recordação da Guerra que combateu em tempos, no Japão, mas era afinal uma bomba ainda ativa. Há mais de 50 anos que o britânico Gerwyn Miles, entretanto falecido, tinha na sala de estar da sua casa, em South Wales, no Reino Unido, uma bomba ainda ativa, que só agora foi descoberta pelos familiares e desativada por uma brigada especializada em detonação de bombas militares.

O caso insólito aconteceu no País de Gales, depois de o dispositivo, que tinha sido encontrado numa praia asiática perto do local onde Gerwyn Miles combateu, ter passado de mão em mão durante mais de 50 anos. Todos pensavam que se tratava apenas de uma recordação da guerra, e, segundo relata o El País, a neta de Gerwyn, Jessica Jones, chegou a levá-lo para a escola para mostrar na aula.

Quem descobriu o verdadeiro uso daquele dispositivo foi a filha de Gerwyn e o marido, que perceberam que alguma coisa se passava quando limpavam a casa do pai, entretanto falecido. Foi então que chamaram a polícia, que teve de chamar uma equipa especializada de detonação de bombas militares. Tratava-se de uma bomba de fabrico alemão, que continha material altamente inflamável e que, apesar dos anos, estava em muito boas condições.

“Foi um grande choque quando percebi que o dispositivo que tinha estado na família durante tantos anos, era na verdade uma bomba ainda ativa”, afirmou a filha de Gerwyn, Lynis Jones, ao jornal britânico Metro.

Segundo explicou a filha, a polícia optou por não dar ordens de evacuação da casa e do bairro quando percebeu que a bomba estava ativa, uma vez que já tinha passado de mão em mão durante tantos anos e nada tinha acontecido. Em vez disso, a brigada especializada levou o artefacto para uma zona descampada a nove quilómetros da cidade onde viviam, para que a bomba fosse detonada em segurança.