434kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Não é só Valência. Há pelo menos mais oito cidades a querer a Web Summit

Este artigo tem mais de 3 anos

Valência apresentou uma proposta de 50 milhões de euros públicos para 10 anos, mas não é a única a querer a Web Summit. Lisboa mantém-se na corrida, mas rivaliza com nomes como Paris e Londres.

O Presidente da República encerrou a edição do ano passado da Web Summit, apelando à permanência em Lisboa
i

O Presidente da República encerrou a edição do ano passado da Web Summit, apelando à permanência em Lisboa

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

O Presidente da República encerrou a edição do ano passado da Web Summit, apelando à permanência em Lisboa

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Valência será apenas uma das nove cidades que estão a disputar a edição dos próximos anos da Web Summit. Além desta e de Lisboa, que continua na corrida para manter a maior conferência de tecnologia e empreendedorismo no país, há pelo menos mais sete a querer o evento, apurou o Observador. Ao que tudo indica, Munique, Paris, Londres, Berlim, Madrid, Milão e Bilbao estarão a tentar ficar com as 70 mil pessoas que são esperadas, este ano, na FIL e na Altice Arena. Barcelona também será uma das cidades apontadas, segundo a imprensa espanhola.

Em setembro de 2015, Paddy Cosgrave, fundador da conferência, deixou a casa mãe em Dublin e mudou-se para Lisboa.  O investimento para o evento – financiado pelo Turismo de Lisboa, Turismo de Portugal e pela AICEP –, anunciado à data pelo então vice-primeiro-ministro Paulo Portas, foi de 1,3 milhões de euros por ano, ou seja, de 3,9 milhões de euros para os três anos que ficaram assegurados contratualmente: 2016, 2017 e 2018. A estes, acresce a possibilidade de estender o contrato por mais dois anos, até 2020, mas nada está assegurado.

Vitória! Lisboa vai receber a Web Summit em 2016, 2017 e 2018

Em dezembro do ano passado, o Dinheiro Vivo avançou que Paddy Cosgrave poderia estar com mais três cidades debaixo de olho: Londres, Paris e Milão. A especulação sobre Paris conta com o próprio Cosgrave a fazer uma publicação no Facebook, a 8 de fevereiro de 2018, na qual escreve que “estão muitas coisas a acontecer” na capital francesa. “Tenho uma sensação clara de que França se está a mover numa direção muito interessante”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quase dois meses depois, é no Twitter que o fundador da Web Summit levanta o véu sobre  a capital britânica, cidade onde diz sentir “uma grande energia e foco no futuro”. “Foi divertido regressar ao número 10 de Downing Street, que acolhe a primeiro-ministro britânica. Grande energia e foco no futuro. Ainda há um grande interesse em startups”, escreveu, naquela que foi a segunda visita de Paddy ao mesmo número 10 britânico em apenas quatro meses. Em dezembro, o presidente da maior conferência de empreendedorismo da Europa já tinha publicado uma foto no Instagram à porta da casa da primeira-ministra Theresa May.

Foi também no Instagram, em dezembro, que Paddy Cosgrave colocou uma foto em Milão, com a legenda: “Adeus Milão, estiveste linda hoje”. Apesar dos meses que separam estas publicações do anúncio de Valência, as três cidades mantêm-se na corrida pela conferência. Em maio, foi a vez de Munique anunciar que vai apostar no evento.

Goodbye Milan, you were beautiful today. ???? #Italy #Milan

Uma publicação partilhada por Paddy Cosgrave (@paddycosgrave) a

No dia 16, a publicação digital Munich Startup avança que a cidade se candidatou a receber a conferência: “A Web Summit atrai mais de 60.000 participantes todos os anos a Lisboa. A partir de 2019, Munique quer ser a sede da mega-conferência”, escrevem, explicando que os planos da cidade passam por um contrato de entre sete a dez anos.

“Temos um ecossistema de startups muito melhor do que o que as pessoas pensam”, disse Josef Schmid, vice-presidente da Câmara Municipal de Munique.

Valência tornou pública a vontade de receber a Web Summit esta terça-feira. O anúncio foi feito na segunda-feira ao fim do dia pelo presidente da Comunidade Valênciana, Ximo Puig, e pelo presidente da Câmara Municipal de Valência, Joan Ribó e prevê um investimento de 5 milhões de euros anuais das duas entidades para os próximos cinco anos, segundo o El Pais. Em dinheiros públicos, esta aposta traduz-se em 25 milhões de euros, nesse período.

Contudo, de acordo com o jornal Levante El Mercantil Valenciano, o investimento da cidade na conferência não é para cinco, mas para 10 anos. Assim, os apoios públicos traduzem-se em 50 milhões de euros, mas se juntarmos a estes o apoio em infraestruturas, o valor total poderá ultrapassar os 170 milhões de euros.

O canal televisivo regional de Valência, o À Punt Media, o Lepetitjournal Valence  e o Valencia Plaza colocam mais três cidades espanholas na corrida: Madrid, Barcelona e Bilbao. Contactado pelo Observador, o porta-voz da Web Summit recusou-se a prestar comentários sobre o assunto. Em relação a Lisboa, sabe-se apenas que as negociações estão a decorrer. O Observador contactou o Ministério da Economia, mas até à hora a que este artigo foi publicado não obteve resposta.

A terceira edição da Web Summit realiza-se entre 5 e 8 de novembro, na FIL e na Altice Arena, onde são esperadas mais de 70 mil visitantes de 170 países, segundo a organização. Estima-se que o evento tenha um impacto de 300 milhões de euros, por ano, na economia lisboeta.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.