Pelo menos 19 pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas na sequência de uma série de explosões em fábricas de fogo-de-artifício na cidade de Tultepec, a norte da Cidade do México, avança o jornal Milenio, que cita a Proteção Civil mexicana. Entre as vítimas mortais contam-se quatro bombeiros e dois agentes da polícia, que se deslocaram até ao local logo após a primeira explosão, refere o The Guardian.

O presidente da proteção civil mexicana, Luis Felipe Puente, adiantou, citado pelo The Guardian, que houve quatro explosões, que começaram numa fábrica de fogo-de-artifício clandestina. Estas provocaram um incêndio que, segundo o jornal mexicano Reforma, já foi controlado. “O problema foi que, depois da primeira explosão, as pessoas tentaram ajudar. Foi quando ocorreu a segunda explosão, que matou estas pessoas”, disse Puente.

Em comunicado, Alfredo del Mazo, governador do Estado do México, onde fica a cidade de Tultepec, disse ter dado “instruções aos ministros estaduais do Interior e da Saúde para se deslocarem imediatamente ao local para prestar assistência às vítimas e às suas famílias”. Mais de 300 polícias foram enviados para o local do acidente e os feridos foram transportados para o hospital por helicópteros.

Muitos dos habitantes de Tultepec trabalha no fabrico de fogo-de-artifício e as explosões são recorrentes na cidade. O acidente mais recente aconteceu no passado mês de junho. Sete pessoas morreram e oito ficaram feridas.

Como lembra o The Guardian, há muito que as medidas de segurança nas fábricas de fogo-de-artifício são alvo de um intenso debate no México. Apesar de existir regulamentação, esta nem sempre é seguida. “Não podemos deixar que esta situação continue”, afirmou Luis Felipe Fuente.