Quando se prepara um dia em família com crianças pequenas, é preciso pensar no que gostam e na capacidade de atenção que têm disponível para ouvir e aprender. Tudo o resto será brincadeira ou pausas para descansar. Mas é igualmente importante pensar no tempo passado dentro do carro, em viagem. Garantir o conforto, arranjar distrações para não julgarem intermináveis os quilómetros que os separam do destino, e definir trajetos curtos, são estratégias determinantes para o sucesso de uma viagem em família. Por isso, o monovolume Alhambra da SEAT é a escolha ideal. Com espaço para sete pessoas e cadeiras de criança já incorporadas, diminui a logística envolvida e garante conforto.

Isto é tanto mais verdade, quando se trata da família de Mariana Seara Cardoso, autora do blog “Aos pares” (aospares.pt) e do marido Domingos Domingues. Pais de dois pares de gémeos de dois e quatro anos, não se podem dar ao luxo de não programarem alguns destes passos básicos quando a família sai numa viagem.

A saída de casa tem de ser feita de manhã, enquanto o calor não aperta e para se aproveitar bem o dia. Garantida a segurança dentro do carro, ruma-se ao primeiro destino que, neste caso, é o Lugar dos Pernilongos, em Setúbal.

De onde vem a farinha?

“Ora bate padeirinha, ora bate o pé no chão/ Ora bate, padeirinha, amor do meu coração”, é ao som desta música infantil que Maria dos Anjos ensina os meninos a fazer pão. Estamos no Lugar dos Pernilongos, Quinta da Gâmbia, em Setúbal e vamos ter este “hit” como banda sonora o resto do dia. Porque a verdade é que as crianças apanham tudo muito rapidamente, sobretudo se puserem as mãos na massa e repetirem as cantilenas. Maria dos Anjos, uma de seis irmãos, está na quinta há 20 anos, mas é natural de Proença-a-Nova, Castelo Branco. Desde cedo que sabe identificar o trigo e de que forma se transforma em pão. Mas, para algumas crianças, o supermercado é a fonte de todos os alimentos. Aqui, procura-se esclarecer esse “mito urbano”, demonstra-se todo o processo de fabrico do pão e leva-se o grupo a apanhar a lenha para aquecer o forno que o vai cozer.

O nosso dia

Mostrar Esconder

Herdade da Gâmbia – Lugar dos Pernilongos
Rua da Liberdade – 2910 – 219 Setúbal
https://www.herdadegambia.com/lugardospernilongos
Preçário – Escolas e Instituições
Meio-dia (manhã das 10:00 às 12:30) – Inclui: uma atividade à escolha + animais da quinta – 8,00 €
Dia completo (das 10:00 às 16:00) – Inclui: duas atividades à escolha + animais da quinta – 12,00 €

Castelo de Palmela
Horário: 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h30
Telefone: 212 332 122
http://turismo.cm-palmela.pt/castelo-palmela

Atlantic Ferries
http://www.atlanticferries.pt/index.aspx

Ruínas de Tróia
Troia Resort
7570-789 Carvalhal GDL | Portugal
Email: arqueologia@troiaresort.pt
Telefone: +351 265 499 400

É Didi Carvalho, responsável pela Quinta Pedagógica que faz as honras da casa e mostra este espaço extraordinário, situado na Reserva Natural do Estuário do Sado, na margem direita da Ribeira da Marateca. São cerca de 600 hectares onde se podem observar aves, como os tais Pernilongos, mas também flamingos, pato real, águia sapeira, entre outros. Um pomar, vinha e diversos animais de quinta tornam este num lugar mágico para crianças e adultos.

Nesta Quinta Pedagógica, as escolas podem escolher fazer um leque diverso de atividades mas, um sábado por mês, as famílias também são bem-vindas. A equipa promete – e cumpre! – um dia muito bem passado.

Um castelo altaneiro

Em dias de passeio em família, a pausa para as refeições também pode servir para se aprender alguma coisa. O restaurante escolhido  – O Bobo da Corte – fica na Praça de Armas do Castelo de Palmela e tem uma vista de cortar a respiração. Em dias de boa visibilidade consegue ver-se da Arrábida à Serra de Sintra. Não admira que este tivesse sido um local escolhido pelos árabes durante a sua ocupação do território português, para construir uma fortificação. Classificado como Monumento Nacional em 1910 tem, nas antigas instalações do Convento, uma Pousada de Portugal, que vale a pena visitar ou, pelo menos, espreitar. Nos anos 70, o castelo foi usado como cenário no filme luso-espanhol “A noite de Terror Cego, do realizador espanhol Amando de Ossorio e, em 2005, foi ali gravado um episódio da série juvenil “Uma aventura”, baseado no livro “Uma aventura do Castelo dos Ventos”, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.

Agora, a caminho de Tróia!

Até Setúbal – a caminho do barco – o percurso é curto, mas é uma boa oportunidade para deixar as crianças fazerem a sesta de que necessitam. Elas recuperam forças e os pais podem apreciar mais calmamente  a paz do rio Sado. Ao escolhermos fazer a travessia de barco para Tróia, não só damos descanso ao condutor, como temos a oportunidade de, se tivermos sorte, ver golfinhos ou as alforrecas no seu habitat natural. Durante o verão, há ferries a cada 35 minutos e a viagem dura menos de meia hora. Se quiser ficar a acompanhar a sesta das crianças, o MPV SEAT Alhambra deixa-o apreciar a passagem das nuvens no céu e o voo das gaivotas, através do teto panorâmico elétrico, que tem uma abertura 300% mais larga do que o normal.

Em Tróia, a praia é de sonho e tem areal suficiente para estarmos à vontade, mesmo quando somos uma família mais numerosa. Aqui, estamos todos em liberdade. Podemos brincar ou apenas apreciar a vista e a fantástica temperatura da água. Até se pode continuar a sesta, se ela entretanto foi interrompida. Um fim de dia junto ao mar retempera qualquer um, independentemente da idade!

Se pensa ir para esta zona por mais de um dia, vale a pena visitar as Ruínas de Tróia, onde pode recuar até ao séc. I d.C. e conhecer o modo de vida na época da ocupação romana da região, através dos vestígios das casas, fábricas, termas, mausoléu e necrópole que sobreviveram à passagem do tempo. Tenha atenção à época do ano em que visita as ruínas, uma vez que, durante o verão, as temperaturas são muito elevadas. Leve chapéu, água e coloque protetor solar.

Para terminar em beleza, só mesmo um banho quente e um jantar frugal, para que todos se possam deitar cedo. Porque até os adultos têm tendência a fazer birra de manhã, se o sono não for reparador!

Saiba mais em https://observador.pt/seccao/diarios-de-bordo/