Benfica

Football Leaks regressa no Facebook com aviso para PJ: “Apanha-me se puderes”

Página de Facebook estava inativa desde abril de 2016. Regressa com provocação, quando se conhece a identidade do principal suspeito pelo acesso aos mails do Benfica. PJ pode pedir mandado de captura.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Rui Pinto, um homem de 30 anos natural de Gaia, é o principal suspeito pela violação de correspondência interna do Benfica e já estava sinalizado pela PJ desde 2016, por causa do Football Leaks mas nunca foi possível capturá-lo. A família diz agora que o pirata informático “tem medo de voltar a Portugal” com receio que a Polícia Judiciária o prenda, mas na página de Facebook Football Leaks apareceu esta sexta-feira uma provocação à investigação portuguesa.

Segundo avançou a SIC, a Polícia Judiciária está ponderar pedir a emissão de um mandado de captura internacional contra o hacker que estaria na Hungria quando terá cometido os atos que lhe são imputados.

“PJ à minha procura?”, questiona o autor do post que, logo de seguida se ri e coloca em hashtag “catch me if you can”, isto é, “apanha-me se puderes”. A página de Facebook foi um dos meios de divulgação de informações que estavam na plataforma Football Leaks, a fuga de informação do mundo do futebol da qual Rui Pinto é tido como mentor.

Em declarações à edição desta sexta-feira do Jornal de Notícias (conteúdo pago), o pai de Rui Pinto diz duvidar que o filho “tenha conhecimentos informáticos para fazer o que o acusam. Não é assim tão perito quanto isso”. Francisco Gonçalves admite ao jornal que hoje em dia fala com o filho mantendo alguns cuidado e quase nada diz sobre a sua localização atual: “Desde o caso Fotball Leaks não pára no mesmo sítio, porque nessa altura a PJ disse-me que se ele viesse a Portugal era preso”.

Rui Pinto foi apontado como responsável pelo caso que expôs contratos do fundo de jogadores Doyen, mas também dos principais clubes nacionais e de alguns internacionais. A PJ suspeita que seja também ele o responsável pelo acesso aos emails do Benfica. A divulgação, pela revista Sábado, de dados sobre a identidade do suspeito levou o Benfica a fazer, esta quinta-feira, uma conferência de imprensa para exigir saber quem pagou ao hacker.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)