Futebol

Caso dos e-mails. Benfica aponta dedo a FC Porto e Sporting e quer saber quem pagou a hacker

559

O vice-presidente do Benfica Varandas Fernandes questiona: "Alguém acredita que um hacker ia oferecer essa informação a troco de nada? Ninguém acredita nisso".

João Girão / Global Imagens

O vice-presidente do Benfica João Varandas Fernandes apontou esta quinta-feira o dedo ao FC Porto e à anterior direção do Sporting no caso dos e-mails divulgados pelo diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, e que expõem informação interna do clube da Luz.

No dia em que a revista Sábado publicou uma notícia que identifica o pirata informático que terá roubado os e-mails ao Benfica como Rui Pinto, um hacker português que vive na Europa de Leste, o vice-presidente do Benfica veio dizer, em conferência de imprensa, que “a Justiça conseguirá provar a forma e as contrapartidas financeiras do modo como o FC Porto obteve a informação roubada ao Benfica”.

“Neste processo, já se sabe que o diretor de comunicação do FC Porto está constituído arguido e que, das decisões já conhecidas, tanto o Tribunal Arbitral do Porto como a ERC dão razão ao Benfica e condenam a divulgação de correspondência privada”, afirmou Varandas Fernandes.

“A acreditar no que foi publicado pela Sábado, ficámos a saber a identidade do suposto hacker que roubou os emails ao Benfica”, disse ainda o responsável benfiquista, sublinhando que a “informação foi partilhada por blogues afetos ao Sporting, provavelmente com a conivência da anterior direção do clube”.

Entretanto, o diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, que foi o responsável pela divulgação dos e-mails num programa do Porto Canal, já reagiu à acusação. No Twitter, garantiu que “o FC Porto não pagou” e que “os mails existem e são verdadeiros”.

“Não sei se o Rui Pinto é o hacker ou não. Sei que o FC Porto não pagou e sei que os mails existem e são verdadeiros. As autoridades sabem desde a primeira hora como tive acesso à informação que permitiu, por exemplo, descobrir os corruptos que andavam a violar o sistema judicial”, escreveu Francisco J. Marques na noite de quarta-feira, quando a notícia da Sábado foi conhecida.

Já esta tarde, depois da conferência de imprensa de Varandas Fernandes, o responsável portista voltou ao Twitter: “Claro que lhes custa a acreditar que o FC Porto não tenha pago nada pelos mails. Estás-lhes no sangue, afinal trata-se da única SAD alguma vez acusada de corrupção. Repito as vezes que for preciso, as autoridades sabem como recebi a informação”.

A notícia da revista Sábado dá conta de que Rui Pinto, de 29 anos, foi o pirata informático responsável por roubar os emails internos do Benfica. Residente em Budapeste, capital da Hungria, Rui Pinto é natural de Gaia e esta não é a primeira vez que é notícia, tendo estado envolvido no escândalo internacional Football Leaks.

Apesar de Francisco J. Marques ter garantido que o FC Porto não pagou ao pirata informático pela informação, o vice-presidente do Benfica Varandas Fernandes não acredita. “Alguém acredita que um hacker ia oferecer essa informação a troco de nada? Ninguém acredita nisso”, garantiu esta quinta-feira na conferência de imprensa.

Na mesma conferência de imprensa, Varandas Fernandes reiterou a “competência, dedicação e profissionalismo” de Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica e arguido no caso dos e-mails. “O Dr. Paulo Gonçalves é funcionário do Benfica e a situação não se alterou”, garantiu. “Tem sido um funcionário de qualidade. Até prova em contrário, acredito na inocência de Paulo Gonçalves. Conheço muitos casos de boa gente que foi acusada e nunca foi a julgamento”, disse.

O vice-presidente do Benfica comentou ainda as punições de que o clube foi alvo recentemente pelo IPDJ e pela Federação Portuguesa de Futebol, sublinhando que as decisões foram “marcadas pela arbitrariedade e falta de fundamento” e que o clube vai recorrer das decisões, estando disposto a ir “até às últimas consequências”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)