Rádio Observador

Catalunha

Ciudadanos alia-se a Manuel Valls para tirar a câmara de Barcelona a aliados do Podemos

O ex-primeiro-ministro francês vai ter o apoio do Ciudadanos nas autárquicas de Barcelona em 2019. Em França, Valls tem dado que falar por mal aparecer na Assembleia Nacional, onde ainda é deputado.

Manuel Valls já não aparece na Assembleia Nacional, onde é deputado pelo grupo criado por Emmanuel Macron, desde a semana de 16 de julho

PAU BARRENA/AFP/Getty Images

O Ciudadanos vai aliar-se à candidatura do ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls à Câmara Municipal de Barcelona, naquele que é um gesto inédito na formação política liderada por Albert Rivera. A aliança deverá ser anunciada esta terça-feira pelas 19h00 locais (18h00 de Lisboa), hora para a qual está marcado um comício do ex-primeiro-ministro do Governo de François Hollande.

A confirmação desta aliança foi feita por fontes do Ciudadanos ao El País. De acordo com aquele jornal, o Ciudadanos está disposto a abdicar de uma candidatura em nome próprio — como tem feito desde a sua fundação em 2006, na Catalunha — e a juntar-se a Manuel Valls, naquilo que as fontes contactadas pelo El País descrevem como um esforço necessária para levar pela primeira vez o partido de Albert Rivera e Inés Arrimadas à liderança da maior autarquia catalã.

Segundo o El País, a direção do Ciudadanos consegue neste momento atribuir mais valor ao que vê como qualidades de Manuel Valls — o seu perfil anti-independentista e as credenciais europeístas deste filho de um catalão e de uma italiana criado em França — do que algumas divergências quanto ao modo de lidar com a questão secessionista — Manuel Valls é favorável a um diálogo entre o Governo de Espanha como governo regional ao passo que o Ciudadanos tem-se oposto a uma aproximação entre as duas instituições.

A fórmula que agora o Ciudadanos deve testar é semelhante à do Podemos que, em eleições regionais e municipais, tem por regra concorrer aliado a forças políticas locais. É precisamente esse o caso do Barcelona Em Comum, liderado por Ada Colau, que acabou por vencer as eleições municipais de Barcelona em 2015 com 25,2% dos votos. Nessa altura, o Ciudadanos ficou em terceiro lugar, com 11,03%.

Em junho, uma sondagem do GAD3 publicada pelo La Vanguardia apontava para resultados diferentes aos de 2015 nas eleições de maio de 2019. Apesar de o Barcelona Em Comum continuar à frente (21,8%), a distância para o Ciudadanos seria muito menor, que saltaria para segundo lugar com 19,9% dos votos. Esta sondagem foi produzida antes de a candidatura de Manuel Valls ter sido confirmada, tal como a sua aliança com o Ciudadanos — pelo que, se o anúncio do ex-primeiro-ministro francês se confirmar esta terça-feira à tarde, é expectável que estes números mudem na próxima sondagem.

Virar costas a França e abrir os braços à Catalunha: o percurso recente de Valls

Manuel Valls não tem tido uma vida política fácil em França. Depois de ter sido o segundo primeiro-ministro no Governo do Presidente François Hollande, entre os anos 2014 e 2016, Manuel Valls demitiu-se para poder concorrer nas eleições primárias do Partido Socialista francês. Acabou por ser derrotado por Benoît Hamon, que apresentava uma solução mais à sua esquerda — tão à esquerda que, chegadas as eleições presidenciais, Manuel Valls recusou apoiá-lo e declarou antes que iria votar em Emmanuel Macron.

Depois das presidenciais, e em vésperas das eleições legislativas, pediu ao La République En Marche (LREM), de Emmanuel Macron, que apoiasse a sua candidatura à Assembleia Nacional. A resposta não foi “sim” nem foi “não” — foi “nim”, com o LREM a não apoiá-lo mas a não apresentar nenhuma candidatura naquele lugar. Manuel Valls acabou por ser eleito, com apenas 139 votos de vantagem para a adversária de extrema-esquerda. Só depois renunciou à militância no Partido Socialista e foi, mais tarde, admitido como membro da bancada parlamentar do LREM.

A verdade é que, mesmo sendo deputado em França, Manuel Valls vira cada vez mais as costas àquele país à medida que abre os braços a Barcelona. Segundo o site Nos Deputés, que analise a assiduidade e atuação dos deputados à Assembleia Nacional de França, Manuell Valls não voltou a estar presente nas sessões daquele órgão legislativo desde a semana de 16 de julho.

Nos últimos tempos, Manuel Valls tem-se aproximado lenta mas irreversivelmente do cenário político catalão. Nas eleições regionais catalãs de dezembro de 2017, o ex-primeiro-ministro francês já tinha participado numa ação de campanha do Ciudadanos. Desde então, tem estado em permanente contacto com aquela força política e tem dado algumas entrevistas a meios de comunicação daquela região, falando num catalão escorreito.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)