Ryanair

Sindicato critica encontro do Governo com o presidente da Ryanair. “É inaceitável e incompreensível”

O Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil criticou um encontro entre o Governo e o presidente da Ryanair. Secretaria de Estado diz que se tratou de "uma reunião de trabalho regular".

Ana Mendes Godinho/Facebook

A secretária de Estado do Turismo esteve esta terça-feira em Dublin, na Irlanda, e reuniu com o presidente executivo da Ryanair, Michael O’Leary, três dias antes da greve de 24 horas dos tripulantes da empresa irlandesa, que também vai acontecer em Portugal. O encontro foi divulgado através das redes sociais, quando Ana Mendes Godinho publicou uma fotografia ao lado de Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, e do responsável pela companhia aérea com a descrição “Hoje em Dublin com Ryanair. Olhar para o futuro.” E já gerou polémica.

Do lado do Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), o encontro é visto como “lamentável”. “É grave que a senhora secretária de Estado tenha encontros e esteja tão satisfeita com as visões de futuro e com o presidente de uma companhia que se nega a cumprir com as leis mais básicas do país, que também é dela e cujo ao Governo a que ela pertence foi solicitada uma intervenção”, referiu Luciana Passo, presidente do SNPVAC, ao Observador.

Hoje em Dublin com Ryanair. Olhar para o futuro.#CantskipAirConnections

Posted by Ana Manuel Mendes Godinho on Tuesday, September 25, 2018

A greve, agendada para esta sexta-feira, pretende reivindicar, além da melhoria das condições salariais, a aplicação por parte da Ryanair das leis laborais nacionais e não da lei irlandesa, país de origem da companhia aérea. “Não são os países nem as pessoas que têm de se adaptar a uma empresa, são as empresas que têm de se adaptar às leis de cada país”, sublinhou a presidente do Sindicato.

Em comunicado, o SNPVAC descreve o encontro como uma “atitude de profundo desrespeito pelos portugueses em geral, e de desprezo pelos tripulantes de cabine portugueses da Ryanair, em particular” e uma “atitude de subordinação por parte de um representante do Governo à empresa da Ryanair”, exigindo um “esclarecimento cabal por parte do Governo português relativamente a esta matéria”.

“A não ser que a senhora secretária de Estado tenha resolvido o diferendo causado pela Ryanair, mas como tal resolução não foi objeto de partilha publica supomos que tal assunto não terá sido sequer abordado”, acrescentou a entidade sindical na nota enviada.

É inaceitável e incompreensível que a secretária de Estado do Turismo de Portugal, Ana Mendes Godinho, e o Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, tenham visitado a sede da empresa Ryanair em Dublin, e ao invés de aproveitarem a ocasião para exigirem o cumprimento imediato da Constituição da República Portuguesa e das leis nacionais ao CEO da empresa, Michael O’Leary, preferiram realizar uma sessão fotográfica”, referiu o sindicato em comunicado.

Ao Observador, Luciana Passo disse ainda que “não parece normal que a senhora secretária de Estado vá reunir com o senhor O’Leary e que, com a terceira greve da Ryanair a acontecer na sexta-feira em Portugal, esteja tão satisfeita, sem ter sequer feito uma declaração de que estaria a tratar de resolver os problemas dos trabalhadores portugueses”. E acrescentou: “Se a intervenção é posar ao lado de Michael O’Leary acho que está a fazer um péssimo trabalho, acho que não está a ajudar em nada, antes pelo contrário, acho lamentável”.

A Secretaria de Estado do Turismo referiu, em resposta ao Observador, que o encontro se tratou de “uma reunião de trabalho regular” que a entidade tem “com várias companhias aéreas, com vista ao reforço das ligações aéreas para todos os aeroportos em Portugal”. Na reunião com a companhia aérea, acrescenta, “abordou-se de forma global a presença da Ryanair em todos os aeroportos portugueses, incluindo as questões laborais”.

Ao todo, serão seis países onde os tripulantes e pilotos das bases vão aderir ao protesto marcado para esta sexta-feira: Espanha, Bélgica, Holanda, Portugal, Itália e Alemanha. Esta terça-feira, a companhia aérea informou que cancelou 190 voos de um total de 2.400 previstos.

(notícia atualizada às 20h04, com a resposta da Secretaria de Estado do Turismo)

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)