Aeroportos

Novo aeroporto. Deslocar parte dos aviões do Montijo vai custar 115 milhões de euros

102

Força Aérea já apresentou a fatura para a operação de "limpeza" da base áerea n.º 6. Solução acordada com ANA Aeroportos prevê coexistência de aviões civis e militares no Montijo.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

A Força Aérea vai manter algumas esquadrilhas militares no novo aeroporto do Montijo e deslocar parte da sua frota para as bases de Sintra e Beja, avança a edição desta sexta-feira do jornal Público. A transferência dos EH101 e C295 vai custar 115 milhões de euros, valor que caberá à ANA Aeroportos pagar — se a pronto ou em prestações, esse é um ponto que ainda não estará fechado.

Das atuais frotas instaladas na base aérea número 6, só os helicópteros Lynx da Marinha (que esta semana celebraram 25 anos) ali continuarão. A estes há de juntar-se a esquadrilha de KC390, que se prevê que comecem a chegar a Portugal a partir de 2021 e que vão substituir os C130 em fim de vida. O ponto fundamental para esta decisão passa pelo facto de ser possível conciliar a operação quer dos Lynx quer dos KC390 com os voos civis.

Para Sintra, a Força Aérea prevê deslocar os helicópteros de busca e salvamento EH101, junta esta frota à dos helicópteros Alouette. E em Beja ficarão instalados os aviões de carga C295.

A reconversão da base aérea do Montijo, transformando-a numa plataforma também para voos civis, também pressupõe alterações nas instalações aeroportuárias da capital. De acordo com o mesmo jornal, o material (muitas vezes sensível) guardado no hangar de Figo Maduro que serve as Forças Nacionais Destacadas passará para o Montijo. A zona militar de Figo Maduro será convertida pela ANA Aeroportos num “aeroporto de Estado” para receber as figuras de Governo e de Estado que visitem Portugal e será também a casa dos Falcon usados por Presidente da República, primeiro-ministro e membros do Governo em visitas ao estrangeiro.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: prainho@observador.pt
Moçambique

A extradição de Chang e o futuro da Frelimo

Manuel Matola

Apesar da complexidade do caso e da gravidade das acusações contra Manuel Chang, uma eventual extradição para Moçambique garantiria de que o processo-crime que corre em Maputo teria uma morte natural.

África do sul

África do Sul – Que Futuro?

Jaime Nogueira Pinto

Em vésperas de eleições, a República da África do Sul vive dias instáveis, entre a democracia e a cleptocracia. E radicalização de um ANC em quebra eleitoral pode por em causa os equilíbrios do regime

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
364

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)