Elétricos

O 2º maior investidor da Tesla compra fatia da Nio

A Baillie Gifford & Co, o segundo maior investidor da Tesla, anunciou ter adquirido uma importante fatia da Nio, um dos mais prometedores novos construtores de veículos eléctricos da actualidade.

A Tesla foi a primeira a perceber que era possível ter um veículo eléctrico que fosse interessante de conduzir, emocionante de acelerar e com uma autonomia respeitável. Mas a marca californiana está longe de estar sozinha, pois ainda que continue folgadamente à frente dos construtores tradicionais que começaram há menos tempo a investir em carros alimentados por bateria, a realidade é que existem outros fabricantes de modelos movidos a electricidade, mais pequenos e mais jovens do que a Tesla, que em muitos aspectos a ultrapassam em tecnologia. É o caso da Rimac e também da Nio, ambos com modelos no mercado que se assumem como as referências numa série de áreas, em que superam o fabricante de Palo Alto.

A Tesla, que só em dois trimestres apresentou lucros operacionais diminutos, apesar de estar a funcionar desde 2003, continua a perder dinheiro a bom ritmo, mas o seu potencial é tremendo. E não é por este jornalista ou aquele analista o afirmarem, é antes porque os investidores mantêm a confiança na empresa e, sobretudo – ainda que isto também aborreça muitos detractores de Elon Musk –, no seu CEO.

Estes investidores, que não têm problemas em confiar os seus milhões à marca americana, acreditam sobretudo no potencial económico dos veículos eléctricos. Estão confiantes que a Tesla, quando terminar este período de forte investimento – incluindo a Gigafactory na China para veículos e baterias, altura em que o Model 3 já terá atingido a velocidade de cruzeiro (espera-se…) e se terá iniciado a produção do Model Y –, começará a dar dinheiro que se veja, bem acima dos 5-8% dos fabricantes tradicionais. Mas acham também que a Tesla já está numa fase muito avançada, pelo que procuram novas “teslas”, ainda em fase embrionária, que lhes permitam maximizar os lucros.

Um dos exemplos chega-nos pela Baillie Gifford & Co, empresa escocesa que gere um fundo de investimento com cerca de 220 mil milhões de euros e que possui 7,7% da Tesla, sendo o segundo maior investidor individual, depois de Elon Musk, que controla cerca de 20%. Segundo a Bloomberg, a Baillie Gifford & Co adquiriu uma fatia de 11,4% da Nio, num total de 85,5 milhões de acções, por “apenas” 500 milhões de dólares. Apostam os gestores do fundo escocês que as acções da Nio, hoje a 7,18 dólares cada, vão permitir um encaixe fabuloso se um dia se vierem a aproximar dos 252$ a que estão cotadas as da Tesla.

A Nio é um empresa chinesa que nasceu em 2014 e foi buscar capital à bolsa americana em Agosto deste ano. Fabrica o EP9, um desportivo de dois lugares tão exuberante quanto eficaz, com 1.360 cv e capaz de atingir 100 km/h em 2,7 segundos, que é simultaneamente o recordista absoluto de Nürburgring. Produz igualmente o ES8, um SUV de grandes dimensões com a capacidade de trocar de bateria para rapidamente ficar com carga máxima e o ES6, ligeiramente mais pequeno.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)