A matemática parecia mais ou menos fácil de entender no último domingo e a rábula do treinador do Real Madrid poderia ter um custo total de 30 milhões de euros, quase como se fosse um jogador. Vejamos: para sair da seleção espanhola, Lopetegui custou dois milhões. Quatro meses e meio depois, e na sequência de uma série de mais resultados, foi dispensado (com um comunicado de tal forma duro que causou algum incómodo entre os merengues) – mais 18 milhões, equivalente ao vencimento do antigo técnico do FC Porto até final do contrato. Depois, surgia Antonio Conte, que tinha ainda dez milhões “pendurados” do vínculo com o Chelsea e que não queria prescindir desse valor até mais pela forma como foi afastado para a entrada de Maurizio Sarri. 2+18+10 = 30 milhões. No entanto, o que no domingo era o futuro certo tornou-se esta quarta-feira passado. Para o bom e para o mau: segundo o As, a saída do ex-selecionador poderá ficar “apenas” por três milhões…

De acordo com a Sky Sports, o treinador italiano, que passou pela seleção transalpina e pela Juventus, terá recusado em definitivo a possibilidade de aceitar uma proposta do campeão europeu. Um dado que se torna ainda mais estranho tendo em conta todas as notícias deste fim de semana, que davam conta de conversações muito adiantadas caso Lopetegui falhase no Clássico em Camp Nou – como falhou, de forma rotunda. O que mudou nesse hiato? Por um lado, o desencontro de verbas: Conte pedia os tais dez milhões de euros líquidos por temporada, o Real chegava apenas aos oito; por outro, as garantias que teria para poder mexer na estrutura do clube e inverter a atual tendência negativa que se vive; por fim, tão ou mais importante, as declarações de Sergio Ramos no final da derrota com o Barcelona, deixando alguns avisos ao possível futuro técnico.

A Sky Sports adianta ainda que o italiano está disponível para assumir outro projeto na presente temporada, algo que pode ser interpretado como um “convite” ao Manchester United, caso José Mourinho deixasse Old Trafford.

Esta terça-feira, Michael Laudrup, outro dos nomes ventilados nas listas de possibilidades que têm vindo a público nos últimos dias, também colocou de parte a possibilidade de substituir Julen Lopetegui. “Laudrup não procura uma oportunidade para treinar o Real Madrid, mas sim uma situação ideal para o fazer. Na situação em que o Real Madrid está agora, não é o momento. Não quer entrar ali de nenhuma maneira”, destacou o representante do antigo jogador, Bryan Tutumlu. Hoje, Laudrup acrescentou ainda à Marca que não chegou a haver qualquer tipo de negociação com os merengues.

Desta forma, ganham força duas possibilidades que, tal como Antonio Conte, podem envolver verbas elevados: Roberto Martínez, atual selecionador da Bélgica; e Mauricio Pochettino, técnico do Tottenham que já no Verão tinha sido apontado ao Santiago Bernabéu. Também José Mourinho foi apontado pelo El País ao cargo, tendo mesmo havido conversas exploratórias para o regresso do português a Madrid depois da passagem pelo clube entre 2010 e 2013. Certo é que, para já, Santiago Solari vai assumir o comando da equipa no encontro desta noite para a Taça do Rei com o Melilla.