Mercedes-Benz

Sentido de humor da Mercedes vira-se contra ela?

Um Mercedes foi a estrela de um falso anúncio onde os veículos eléctricos eram gozados. A piada é que agora a marca voltou-se em força para este tipo de mobilidade, resta saber se mantém o humor…

O conhecido programa de entretenimento Saturday Night Live (SNL), emitido pela cadeia americana NBC, produziu  um falso anúncio protagonizado pela actriz Julia Louis-Dreyfus, mais conhecida pela personagem Elaine na série Seinfeld, numa edição que foi para o ar há cerca de dois anos. O anúncio gozava ostensivamente com os automóveis eléctricos que, em 2016, para a Mercedes ainda eram uma “coisa” prevista lá muito mais para a frente.

Não faltou mesmo quem “lesse” nas entrelinhas do falso anúncio um certo beliscão à Tesla, que à época ainda não vendia mais veículos do que a marca alemã no mercado americano, mas prometia fazê-lo em breve, tanto mais que já se falava do Model 3. Oficialmente, trata-se de um sketch da SNL, mas há quem defenda que se tratou de um trabalho pago pelo fabricante germânico, uma vez que a imagem da Mercedes é demasiado evidente e excessivamente bem defendida, para não ser pago pelo fabricante germânico. A pronta reacção da Mercedes USA ao falso anúncio não fez mais do que reforçar essa ideia, com os comentários do mercedesblog a alimentarem ainda mais a suspeita.

No vídeo, Julia Louis-Dreyfus, que conduz um Tesla Model S no seu dia-a-dia, começa por brincar com a denominação do modelo, AA Class, numa clara alusão as pilhas AA, para depois ridicularizar os veículos eléctricos mostrando que o modelo está recheado de pilhas da Duracell, contendo 9.648 unidades. De seguida, brinca com o facto daquele modelo eléctrico atingir 52 milhas por hora (cerca de 84 km/h), tentando passar a mensagem que os eléctricos são mais lentos do que os carros similares equipados com motor a gasolina ou a gasóleo. Antes de terminar, o vídeo refere-se ainda num tom jocoso à mala e à possibilidade de alojar baterias extra, ao desempenho nos crash-tests e à hilariante forma como o condutor seria informado que deveria substituir uma das 9.648 pilhas, ou todas de uma só vez. O final, em que a actriz sai com dificuldade de um automóvel rodeado de pilhas velhas, enquanto informa que “as baterias não estão incluídas”, termina em alta um anúncio que até pode ser falso, mas nem por isso menos bem conseguido.

Passados dois anos, a Mercedes entrou na guerra dos eléctricos, sendo o EQC a sua primeira proposta, um SUV que apresentou no passado mês de Setembro, mas que só vai comercializar dentro de um ano. Até lá, recorrendo ou não a baterias Duracell, tem de encontrar uma forma de o dotar com a necessária potência e autonomia, pelo menos para poder rivalizar com os fabricantes que estão há mais tempo no mercado, com este tipo de produtos, com os quais gozou (no bom sentido, é claro) há dois anos atrás. E a situação não está fácil, como pode ler aqui:

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)