Com o começo da Web Summit, a Taxify, plataforma de mobilidade que compete diretamente com a Uber e com a Cabify, informou esta segunda-feira que vai ativar temporariamente a tarifa dinâmica. Isto significa que, apesar de o valor das viagens poder ser mais elevado devido ao aumento da procura, também mais motoristas vão estar disponíveis.

Numa mensagem enviada aos utilizadores, a Taxify acrescenta que decidiu ativar temporariamente a tarifa dinâmica de forma a “equilibrar o máximo possível as solicitações e a disponibilidade de motoristas”. Quando esta tarifa estiver ativa, os utilizadores irão ver um aviso azul antes de realizarem o pedido.

Deste modo, a Taxify terá mais motoristas à disposição entre os dias 5 e 9 de novembro. Este regime de operação é ativado quando um número elevado de pessoas na mesma área pede viagens na mesma altura. Assim, o valor a pagar pelas viagens será mais elevado, mas, ao mesmo tempo, o seu valor é ajustado de forma a que mais motoristas se dirijam ao espaço com grande afluência de pessoas.

Além desta tarifa, a plataforma vai também, a partir da Web Summit, introduzir a nova categoria XL — para já apenas em Lisboa –, que permite aos utilizadores pedirem carros de seis lugares, facilitando assim “o transporte de grupos maiores, sem comprometer a sua mobilidade”, disse a Taxify em comunicado. Para os clientes que queiram utilizar esta categoria, basta escolherem essa opção antes de iniciarem a viagem.

O evento da Web Summit vai alterar a dinâmica nos transportes de Lisboa e a necessidade de garantir o transporte das pessoas é um desafio para os dias de 5 a 8 de novembro. Pelo meio, há duas greve parciais do Metropolitano de Lisboa agendadas para os dias 6 e 8 de novembro, entre as 6h30 e as 9h30, que vão obrigar muita gente a arranjar outra solução de transporte.

Do Metro às trotinetes: o que muda nos transportes de Lisboa em dias de Web Summit