Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Os jogadores do Boca Juniors chegaram a entrar no autocarro para seguiram para a Bombonera, já havia adeptos no recinto que abriu portas quatro horas antes do início do encontro e parecia existir melhores condições num relvado que de manhã estava totalmente alagado mas a decisão foi mesmo tomada e é oficial: a primeira mão da final da Copa Libertadores, que deveria ser o jogo grande deste sábado, foi adiado pelo menos 24 horas devido ao mau tempo em Buenos Aires.

Imprevisível, perigoso, “SuperClásico”: Boca Juniors vs. River Plate, a maior rivalidade do mundo

As analogias ao autêntico dilúvio que se fez sentir desde manhã em Buenos Aires eram mais do que muitas, desde as lágrimas de emoção de São Pedro por ver o Superclássico de um bairro transformado numa final continental à água da boca que vinha do céu à espera do apito inicial da partida. No entanto, as imagens que circularam do relvado da Bombonera depois de ser devidamente tratado, onde os lençóis de água já pareciam fazer parte do passado, abriam a ideia que haveria jogo. Não se confirmou, com a decisão final a sair por pouco depois das 15 horas locais. E a CONMEBOL, que fez o anúncio oficial, deixou uma ressalva – domingo, 16 horas (locais, mais três em Portugal), se as condições climatéricas assim permitirem. Ponto curioso? As previsões apontam para chuva até à hora marcada, havendo depois uma interrupção de… duas horas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda assim, e de acordo com o diário Olé, Boca Juniors e River Plate parecem não acreditar que as condições estejam reunidas este domingo para a realização do encontro (as primeiras decisões deverão começar a ser tomadas por volta da hora de almoço em Portugal). Nesse caso, há possibilidade de haver um adiamento maior para o próximo dia 17 de novembro, sábado. Tudo porque, de acordo com um dirigente da equipa visitada, caiu mais água hoje do que durante todo o ano…

O pedido recusado do presidente, a cimeira do G20 e um vídeo que arrepia: a antecâmara do Boca-River