Os Republicanos escolheram esta quinta-feira Kevin McCarthy para líder da bancada na Câmara dos Representantes, onde ficaram em minoria, após as eleições intercalares de dia 06. Com a saída do ‘speaker’ Paul Ryan e com a maioria perdida para os Democratas, o novo líder do Partido Republicano na Câmara dos Representantes tem a tarefa de promover a agenda conservadora e de proteger o Presidente dos EUA, Donald Trump, de quem é muito próximo, das críticas dos adversários.

“Nós regressaremos”, prometeu McCarthy, o congressista que há sete mandatos representa os Republicanos no seu círculo na Califórnia e que esta quinta-feira foi eleito líder da bancada do seu partido, derrotando o congressista do Ohio Jim Jordan, por 159 contra 43 votos. McCarthy recorda que já ajudou o Partido Republicano a recuperar uma perda de maioria na Câmara dos Representantes, em 2006, e mostra-se confiante na capacidade de o partido se unir e justificar a confiança do eleitorado.

Com McCarthy na liderança da bancada parlamentar, a defender a agenda legislativa dos Republicanos, Jim Jordan (conhecido pela sua agressividade, demonstrada nos debates televisivos na estação Fox) ficará sobretudo com a tarefa de contrariar os Democratas nos pedidos de investigação a Donald Trump, pelos seus negócios e pela alegada interferência russa nas eleições presidenciais de 2016.

McCarthy reconheceu que o Partido Republicano sofreu pesadas derrotas nas zonas suburbanas, nas eleições intercalares. O congressista também se mostrou preocupado com a predominância masculina e branca na bancada do Partido Republicano, por oposição a uma bancada Democrata bem mais diversificada no perfil.

Nestas eleições internas, Donald Trump manteve-se imparcial, sendo próximo de ambos os candidatos, embora não esconda a empatia especial com McCarthy, a quem chama de “meu Kevin”.