Era uma história inspiradora, daquelas que fazem ter fé na humanidade. Kate McClure seguia uma noite de carro quando ficou sem gasolina no meio da estrada. Um ex-fuzileiro sem-abrigo, Johnny Bobbitt, aproximou-se para a ajudar e o gesto deixou a mulher comovida. “Ele disse-me para voltar para dentro do carro e trancar a porta. Uns minutos depois, regressou com um recipiente vermelho cheio de gasolina. Usou os últimos 20 dólares dele para garantir que eu chegava a casa em segurança.

A descrição faz parte da página montada por McClure e o seu namorado, Mark D’Amico, no Go Fund Me, uma plataforma de crowdfunding utilizada para recolher fundos. “Por favor, ajudem este homem a ter uma casa. Está a ficar tanto frio em Filadélfia e não consigo imaginar como é que vai ser o Inverno. Qualquer bocadinho já ajuda”, terminava o apelo. A história comoveu mais de 14 mil pessoas, que doaram — e muito. Ao todo, o casal conseguiu angariar mais de 400 mil dólares (cerca de 350 mil euros), ajudados por uma campanha mediática, com o casal e o sem-abrigo a aparecerem em programas, notícias e nas redes sociais.

O caso seria deveras inspirador, não fosse dar-se o caso de poder ter sido tudo montado pelos três. É essa a convicção do procurador do condado de Burlington (Nova Jérsia, nos Estados Unidos), que decidiu esta quinta-feira acusar McClure, D’Amico e Bobbitt dos crimes de roubo por engano e conspiração para cometer roubo. “Toda a campanha foi baseada numa mentira”, declarou o procurador Scott Coffina. “Era ficcional, ilegal e terá consequências”, disse, citado pelo The Guardian.

Segundo o Telegraph, Bobbitt foi detido na noite de quarta-feira, em Filadélfia, enquanto que o casal se entregou às autoridades nessa mesma noite.

Os procuradores acreditam que o casal e o sem-abrigo já se conheciam há cerca de um mês quando montaram a página de recolha de fundos. McClure não terá ficado sem combustível, nem Bobbitt terá pago qualquer gasolina. Segundo a acusação, a única parte verídica da história é que o ex-fuzileiro é, de facto, sem-abrigo. Isso mesmo terá sido confirmado por McClure numa mensagem enviada a um amigo cerca de uma hora depois da página ter sido montada:

Ok, a parte da gasolina é completamente inventada, mas o tipo não é”, garantiu a própria McClure, segundo conta o Washington Post. “Tive de inventar qualquer coisa para fazer as pessoas sentirem-se mal. Por isso cala-te com a parte das coisas inventadas.”

A Justiça começou a investigar o caso no verão, depois de Bobbitt ter processado o casal, acusando-os de não ter recebido nenhuma parte do dinheiro. A advogada do sem-abrigo, Jacqueline Promislo, disse ao tribunal que o casal teria gasto cerca de 75 mil dólares a tratar de Bobbitt, mas que teria usado o resto do dinheiro para “financiar um estilo de vida que não poderia custear de outra forma”. Estes responderam acusando Bobbitt de gastar 25 mil dólares do seu dinheiro em drogas, em apenas uma noite.

Agora, o procurador Coffina confirma que o casal terá gasto “grande parte do dinheiro” em bens como um carro, malas de designer, viagens e idas a casino. Quanto ao processo judicial, o procurador de Nova Jérsia esclareceu que os três enfrentam as mesmas acusações, cujas penas podem chegar aos 10 anos de prisão.

Coffina expressou compreensão pela situação de Bobbitt, destacando o seu serviço militar e as circunstâncias difíceis que enfrentou a dormir na rua, mas disse não ter outra hipótese senão a de o acusar também. “É imperativo que nos lembremos que ele foi totalmente cúmplice com este esquema para defraudar os que contribuíram, promovendo a campanha com várias presenças nos media e posando com D’Amico e McClure para um artigo da Philly Inquirer em frente a uma bomba de gasolina onde nunca comprou combustível.”