Rádio Observador

Lifestyle

Não ceda ao impulso da semana da Black Friday. Aguente até sexta

Desligue a internet, leia um livro, veja séries, dê aos dados com um jogo de tabuleiro. Mas fuja das promoções antecipadas. Os melhores descontos só chegam mesmo na sexta-feira negra.

Getty Images/iStockphoto

Todos gostamos da sexta-feira mas há uma que gostamos ainda mais. O fim de Novembro está a chegar e já se sabe o que isso significa –  Black Friday FNAC no dia 23. Descontos e mais descontos. E mais descontos também. Já dissemos descontos? Factos curiosos: este dia já é um fenómeno estudado pela ciência que o chama de “efeito manada”, uma vez que não conseguimos resistir ao que nos parece uma boa compra a um preço imperdível. As nossas avós diriam que vale sempre a pena esperar por uma pechincha. E as avós têm sempre razão. Mas se uma sexta-feira de descontos já era boa, agora quase todas as lojas começam com promoções cada vez mais cedo para nos levar a comprar tudo o que desejamos antes da Black Friday. O que não nos dizem é que estamos a ser iludidos com descontos fracotes.

Esqueça as compras contra o relógio

Ninguém tem uma granada prestes a explodir nas mãos se não comprar logo. Por isso, largue esse telemóvel na prateleira, respire fundo e saia lentamente da loja. Espere até sexta para comprar o smartphone na FNAC . Está sentado ao computador a tentar comprar online antes que a máquina fotográfica que tanto deseja esgote? Relaxe. Espere até sexta. Ela vai estar à sua espera na FNAC. Por mais apelativas que sejam as promoções que antecedem a Black Friday, resista à tentação de comprar por impulso. Muitas vezes, os grandes anúncios de descontos pré sexta-feira negra escondem promoções mais fracas para ganhar a carteira dos clientes antes do grande dia. É por isso que vale mesmo a pena esperar pelos grandes descontos que só existem na desejada sexta-feira. Vai poder comprar esse telemóvel ou essa máquina fotográfica a um preço menos “negro” na Black Friday da FNAC.

Nos últimos anos, aquilo que os portugueses mais compraram foi tecnologia. E é exatamente nestes produtos que a FNAC tem os descontos mais apetecíveis: televisões, smartphones, computadores, playstations, máquinas fotográficas, robots de cozinha, aspiradores inteligentes para a casa… E se custa mesmo, mesmo esperar até sexta, quem for aderente FNAC pode ter acesso privilegiado e em primeira mão aos artigos da Black Friday na véspera. A Black Friday FNAC – Exclusivo Aderente vai realizar-se em todas as lojas FNAC das 21h às 24h do dia 22 de Novembro.

Dois fenómenos presentes na Black Friday

O que é que acontece quando algo fica pouco disponível? Torna-se precioso. O psicólogo Miguel Silveira analisou estes impulsos de compras e explica ao jornal espanhol El País dois fenómenos presentes na Black Friday. O primeiro é o princípio da escassez. Se na segunda-feira já nos estão a dizer que os melhores descontos vão acabar, fica difícil convencer o nosso cérebro do contrário. E fica pior quando imaginamos que no tempo em que estamos a pensar se esperamos ou não pela sexta-feira, alguém vai passar à nossa frente e comprar o último computador que queríamos tanto. É como se estivéssemos numa corrida e, de repente, somos colocados um pouco mais atrás dos nossos adversários. A sexta-feira está lá à frente bem longe de nós. E a trágica conclusão disto tudo é que nunca lá vamos chegar. Dramático, não é?

O segundo fenómeno é o efeito do contágio. E as redes sociais também aumentam esta pressão. Todas as pessoas que conhecemos estão a partilhar o que andam a comprar, as lojas fazem anúncios cada vez mais fortes e que saltam no nosso ecrã a cada cinco minutos tornando quase impossível adiar esta gratificação quando parece que o mundo inteiro foi convidado para a festa dos descontos. E nós? Ficamos com os restos?

4 dias com a FNAC para relaxar até sexta-feira

Como fugir dos descontos apelativos, brilhantes e com letras grandes a piscar à frente dos nossos olhos que nos levam a compras irracionais e por impulso? A FNAC dá uma ajuda:

– Na segunda-feira, quando chegar a casa do trabalho desanimado porque a semana ainda está no início e a Black Friday da FNAC é só no final da semana, coloque aquele vinil de jazz a tocar e aproveite para relaxar no sofá.

– Na terça, ponha todos os gadgets electrónicos no modo off. Não ceda à tentação de andar pelas redes sociais a ver o que os seus amigos estão a comprar e a mostrar. Aproveite para ler aquele livro que está na mesa de cabeceira há dois meses.

– Na quarta, que tal um serão em família ou amigos fora de casa? As opções são mais do que muitas. Podem ir a um espetáculo, um concerto, ao teatro, ao cinema… e aproveitar o que a nossa cultura tem para oferecer.

– Na quinta, e para aqueles que não são aderentes FNAC e vão ter de aguentar só mais umas horas, esta é uma oportunidade de por tudo em cima da mesa – os jogos, claro. Gamifica-te com toda a seleção de jogos de tabuleiro que vão animar a última noite antes da Black Friday da FNAC.

E depois? Depois já é a sexta-feira e afinal a semana passou a correr. Não custou assim tanto, pois não? Agora é levar a listinha que anda a fazer há semanas com as compras que se quer fazer e ir à FNAC mais perto de si para finalmente aproveitar os grandes e mais cobiçados descontos da Black Friday. Para quem não consegue ir a uma loja, a Fnac.pt também vai ter todos os descontos da Black Friday e as entregas são onde o cliente quiser.

Descubra outras sugestões em https://observador.pt/seccao/mercado-de-natal/

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)