Vladimir Putin

Putin considera “mesmo necessária” reunião com Trump após cancelamento no G20

Putin lamentou que o presidente norte-americano tenha cancelado o encontro previsto à margem do G20. Trump justificou a alteração com a escalada de tensão desencadeada por Moscovo contra a Ucrânia.

Os dois chefes de Estado avistaram-se durante dois dias em Buenos Aires, durante a reunião do G20

MIKHAIL KLIMENTYEV / SPUTNIK / KREMLIN POOL/EPA

O Presidente russo, Vladimir Putin, considerou este sábado “mesmo necessário” ter uma “verdadeira reunião com Donald Trump”, lamentando que o Presidente norte-americano tenha cancelado o encontro previsto à margem do G20, em Buenos Aires. “É pena que não cheguemos a ter uma verdadeira reunião. Penso que ela é mesmo necessária”, disse Putin numa conferência de imprensa, acrescentando: “Espero que possamos encontrar-nos quando a parte norte-americana estiver pronta para tal”.

As questões que precisamos de discutir são muito importantes. São, em primeiro lugar, as questões da estabilidade estratégica e, depois, são as questões [relacionadas com o problema] da não-proliferação de armas de destruição em massa”, indicou.

Trump apanhou todos de surpresa na quinta-feira, antes do início da reunião de líderes do G20 (o grupo dos 20 países mais industrializados do mundo), ao cancelar um encontro marcado com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, em Buenos Aires, justificando a alteração de agenda com a escalada de tensão desencadeada por Moscovo contra a Ucrânia.

Os dois chefes de Estado avistaram-se durante dois dias em Buenos Aires, durante a reunião dos dirigentes das principais economias mundiais, e Putin indicou que falaram, à margem da cimeira, sobre a crise ucraniana. “Falámos de pé e eu respondi às suas perguntas sobre o incidente no mar Negro”, quando as forças russas apresaram, no passado domingo, três barcos ucranianos e as respetivas tripulações, disse o Presidente russo. “Ele tem o seu ponto de vista sobre esta questão e eu tenho o meu. Mas informei-o” do que aconteceu, acrescentou.

A Casa Branca, por sua vez, fez saber que “como é costume em eventos multilaterais, o Presidente Trump e a primeira-dama tiveram várias conversas informais durante o jantar [de sexta-feira], incluindo com o Presidente Putin”. Donald Trump encontra-se sob pressão nos Estados Unidos, devido a uma investigação cada vez mais ameaçadora sobre um eventual conluio com a Rússia, durante a sua campanha para as eleições presidenciais, em 2016, para influenciar o sentido de voto dos eleitores.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rússia

Putin enterrou o socialismo /premium

José Milhazes
219

Restam cada vez menos razões ao PCP para apoiar a política de Putin, sobretudo depois de o dirigente russo “ter enfiado o socialismo na gaveta”, mas ainda algo importante os une: o anti-americanismo.

CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Arrendamento

A coisa /premium

Helena Matos

Programas para proprietários que antes de regressarem à aldeia entregam ao Estado as suas casas para arrendar. Torres com 300 apartamentos. O arrendamento tornou-se na terra da intervenção socialista

Médicos

Senhor Dr., quanto tempo temos de consulta?

Pedro Afonso

Um dos aspetos essenciais na relação médico-doente é a empatia. Para se ser empático é preciso saber escutar. Ora este é um hábito que se tem vindo a perder na nossa sociedade, e nas consultas médicas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)