Aston Martin

Brutal. Veja como é o motor atmosférico mais potente do mundo

286

A Aston Martin desvenda o V12 de 6,5 litros, cujos 1.014 cv vão fazer voar o Valkyrie. Os números são impressionantes: pesa 206 kg, atinge 11.000 rpm e oferece uma potência específica de 156 cv/litro.

Há muito que se fala do Aston Martin Valkyrie, um modelo que nasce da colaboração da marca britânica com a Red Bull Racing e que promete colocar a circular na via pública não só o mais rápido, como também o mais eficaz superdesportivo do mercado. Porém, são poucos os que terão esse privilégio, já que a produção estará limitada a 150 unidades, cada uma a custar à volta de 2,8 milhões de euros.

À medida que se aproxima a altura de começar a fazer a entrega das primeiras unidades aos clientes, o que está previsto acontecer já no próximo ano, o construtor de Gaydon vai revelando os segredos que fazem do Valkyrie uma proposta sem rival, pelo menos até surgir o Mercedes-AMG One. Primeiro, os homens do marketing puseram-nos a ouvir a sonoridade do motor e, agora, entenderam por bem mostrar até que ponto o V12 a 65º de 6,5 litros, desenvolvido pela Cosworth é “a expressão máxima do motor de combustão interna”.

Oferecendo a colossal potência de 1.014 cv (1.000 bhp) às 10.500 rpm, antes de atingir o pico máximo de rotação (11.000 rpm), e um binário máximo de 740 Nm a um regime de 7.000 rpm, estamos perante uma espécie de obra de arte, na essência um motor de competição preparado para circular em estrada. Que passa a ser, simultaneamente, o bloco atmosférico mais potente do mundo, oferecendo uma potência específica de 156 cv/litro.  Como se isto não bastasse, pesa apenas 206 kg, valor alcançado graças ao recurso a materiais extremamente leves em diversos componentes. As bielas, por exemplo, são em titânio.

De acordo com a Aston Martin, as cifras agora anunciadas dizem apenas respeito ao motor naturalmente aspirado, com a marca a prometer desvendar lá mais para a frente as especificações do sistema Kers que o apoia, similar aos que também recorrem os Fórmula 1 e cujo desenvolvimento foi entregue à Rimac. Curiosamente, os dados não batem certo com aquilo que a Cosworth deixou escapar há tempos, o que nos coloca a seguinte dúvida: será que os 1.146 cv (1.130 hp) de que falava a Cosworth destinam-se a uma versão (mais especial) do Valkyrie ou a versão de produção sofreu um corte de potência na recta final do programa de desenvolvimento?

Outra das dúvidas prende-se com a longevidade do 12 cilindros, pois ainda nada foi dito a esse respeito. É que, também aí, a Aston Martin pode (ou não) fazer a diferença face ao One, cuja necessidade de reconstruir o motor ao fim de apenas 50.000 km acaba por, de certa forma, retirar algum brilhantismo às prestações do superdesportivo da Mercedes-AMG.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)