A prazo, ninguém duvida, especialmente os CEO da indústria automóvel, que serão os fabricantes chineses a obrigar todos os outros a ‘civilizar’ os seus preços, obrigando a torná-los mais acessíveis. De momento, os veículos eléctricos chineses, sobretudo os que apontam aos segmentos de mercado que mais vendem, pecam por pouca potência e baixa autonomia, essencialmente por o mercado interno exigir acima de tudo um preço reduzido, não se importando de abrir mão de algumas ‘mordomias’, como a potência e a capacidade do acumulador. Mas, à medida que tecnologia das baterias evolui e o preço médio por kWh baixa, é certo que esses mesmos modelos vão começar a surgir na Europa com soluções mais próximas das propostas pelos construtores europeus, americanos, japoneses e sul-coreanos. Mantendo sempre a vantagem do preço.

A Nio é um desses exemplos, com o construtor chinês a provar o seu potencial tecnológico ao fabricar um número muito reduzido do superdesportivo EP9, que bateu o recorde em Nürburgring para veículos de série, eléctricos ou a gasolina.

Novo recorde. Nio EP9 esmaga Huracán Performante

Mas se o EP9 serviu para marcar uma posição, esta empresa chinesa, que tem toda a componente de engenharia e design sediada em Munique, avançou rapidamente para o ES8, um SUV produzido em grande série com sete lugares, que monta dois motores eléctricos de 322 cv, um em cada eixo, e é capaz de atingir 100 km/h em somente 4,4 segundos.

ES8. SUV “igual” ao Model X (por metade do preço)

A novidade é agora o ES6, mais pequeno e mais barato do que o ES8 – que já comercializou mais de 10.000 unidades desde que foi lançado no início de 2018 –, mas mantém uma série de características que o tornam apetecível para quem dá preferência a produtos de luxo. Continua a confiar num chassi e carroçaria com muito alumínio e fibra de carbono, para reduzir o peso, aliando a isto uma estética que não assusta ninguém. Mantém igualmente a capacidade de recarregar rapidamente a bateria, trocando a vazia por uma nova a 100%, num posto de troca da marca (já há 160 destes pontos na China, número que vai continuar a aumentar, estando previstos 300 em 2019), diminuindo o tempo de espera para o condutor.

Segundo a Nio, o ES6 será capaz de ultrapassar os 100 km/h em 4,7 segundos e anuncia uma autonomia de 510 km em NEDC, qualquer coisa ligeiramente abaixo dos 400 km em WLTP. Um dos argumentos é o seu preço, cerca de 45.000€ na China, menos 14.000€ do que o solicitado pelo ES8.