A bolsa de Nova Iorque negociava esta quinta-feira em baixa ao início da sessão, no mesmo dia em que a China acertou com Washington a realização de um diálogo sobre o comércio entre as duas potências. Às 14h47 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones caía 1,48% para 22.550,83 pontos e o Nasdaq cedia 1,34% para 6.466,81 pontos. Por sua vez, o índice alargado S&P 500 fixava-se em 2.438,00 pontos, a cair 1,20%.

O Governo chinês anunciou esta quinta-feira que acertou com Washington a realização, em janeiro, de um diálogo frente-a-frente, visando pôr termo às disputas comerciais entre as duas maiores economias do mundo. Um porta-voz do ministério chinês do Comércio revelou que os dois lados têm mantido negociações “intensas” por telefone, e que já marcaram conversas “frente-a-frente” para o próximo mês, sem avançar com mais detalhes.

Em causa está a política de Pequim para o setor tecnológico, nomeadamente o plano “Made in China 2025”, que visa transformar o país numa potência tecnológica, com capacidades em setores de alto valor agregado, como inteligência artificial, energia renovável, robótica e carros elétricos.

Os EUA consideram que aquele plano, impulsionado pelo Estado chinês, viola os compromissos da China em abrir o seu mercado, nomeadamente ao forçar empresas estrangeiras a transferirem tecnologia e ao atribuir subsídios às empresas domésticas, enquanto as protege da concorrência externa.