Táxis

Taxistas ponderam novo protesto contra as plataformas eletrónicas

Os taxistas dizem não ter resposta do PS e da Comissão para a Descentralização sobre a transferência de competências para as autarquias regularem serviços da Uber, Cabify, Taxify, entre outros.

A Federação Portuguesa de Táxi está a aguardar respostas do PS e da CID

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) está a analisar a possibilidade de avançar com uma nova paralisação caso não obtenha respostas por parte do Partido Socialista e da Comissão Independente para a Descentralização sobre a transferências de competências do Estado para as autarquias no que toca ao transporte de passageiros em veículos descaracterizados, avançou a TSF.

Após a paralisação de setembro de 2018 o PS prometeu aos empresários do setor do táxi levar à Comissão Independente para a Descentralização a questão da transferência de competências sobre o transporte de passageiros pedidos através das plataformas eletrónicas como a Uber, Cabify, Taxify e outras.

Apesar de a Comissão para a Descentralização, liderada por João Cravinho, ter até ao final de Julho para apresentar propostas e recomendações sobre a descentralização, os taxistas estranham a falta de respostas e de contactos para a discussão destes temas.

À TSF, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi, Carlos Ramos, diz que “desde essa altura [do protesto de setembro]” nunca mais foram informados “por parte do grupo parlamentar do PS nem da Comissão”. Acrescentou que estavam à espera que a própria Comissão os convocasse para abordar o tema, mas que até hoje também não houve nenhuma iniciativa por parte dessa entidade.  “No que diz respeito à Federação Portuguesa do Táxi naturalmente que estamos disponíveis para fazer qualquer coisa, não vou neste momento dizer o quê, mas não vamos ficar quietos. Isso é ponto assente”, acrescentou.

A Federação Portuguesa do Táxi dirigiu já um oficio ao presidente do grupo parlamentar do PS, Carlos César, a pedir uma reunião para que possam esclarecer todas as questões sobre as propostas para a descentralização deste setor.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)