O documentário “O Desaparecimento de Madeleine McCann” vai estrear esta sexta-feira na plataforma Netflix e aponta para a teoria de que a criança desaparecida no Algarve há quase 12 anos está viva depois de ter sido raptada por um grupo ligado ao tráfico de pessoas. O trailer oficial foi divulgado esta quinta-feira e aborda “o caso mais famoso do mundo de uma criança desaparecida”, com a análise ao detalhe de todos os suspeitos, de todas as teorias e do trabalho das autoridades.

Vários dos depoimentos recolhidos para o documentário apontam para a teoria de que a criança, na altura com 3 anos de idade, terá sido raptada e sequestrada por um gangue de tráfico humano e levada para o estrangeiro, mas que poderá ainda estar viva. “O valor que a Madeleine tinha era muito alto”, ouve-se no trailer. O documentário deixa ainda várias mensagens de esperança, com as autoridades a acreditarem que o caso pode ter solução.

Segundo avança o The Sun, Jim Gamble, um polícia especialista em proteção de crianças e que esteve envolvido na primeira investigação do caso, acredita que 12 anos depois do desaparecimento de Maddie, o mistério ainda pode ser resolvido. Jim Gamble é um dos 40 especialistas e figuras-chave que participam neste documentário, que não contou com a colaboração dos pais da criança.

Jim Gamble diz que “há que ter esperança nos avanços da tecnologia. Ano após ano, o ADN está a melhorar. Ano após ano, novas técnicas, incluindo reconhecimento facial, estão a ver progressos”, acrescentando que “é possível que esta tecnologia nos ajude a encaixar algumas peças” deste processo que paralisou o país em 2007.

A par disso, o documentário diz ainda que a menina pode ter sido mantida viva devido “ao valor financeiro enquanto britânica de classe média“, sendo assim considerada uma boa moeda de troca por parte dos traficantes. Surge ainda a abordagem à relação da polícia com a imprensa e ainda como um dos suspeitos diz ter sido incriminado para ser obrigado a confessar um crime que diz não ter cometido.

O filme terá custado 23 milhões de euros e inclui entrevistas, entre outros, ao inspetor Gonçalo Amaral, que chegou a publicar um livro sobre o caso, onde apontava suspeitas sobre os pais da criança — Gerry e Kate McCann. Ainda não se sabe se o documentário vai ser disponibilizado no serviço português da plataforma de streaming.

Maddie McCann desapareceu a 3 de maio de 2007 na Praia, no Algarve e até hoje permanece o mistério sobre o caso, existindo várias teses que variam entre o rapto e o homicídio da criança e que deixam também dúvidas sobre a negligência ou o envolvimento dos pais neste caso.