Papa Francisco

Papa pede “gestos de paz” para acabar com ódio e violência e lamenta “horrível atentado” na Nova Zelândia

130

O Papa Francisco lamentou que "à dor pelas guerras e aos conflitos que não param de afligir toda a humanidade" se tenham juntado as vítimas do "horrível atentado" a duas mesquitas em Christchurch.

O papa Francisco lamentou o ataque contra duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia

Massimo Percossi/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O papa Francisco lamentou este domingo o ataque contra duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, que fizeram 50 mortos, e pediu “gestos de paz para acabar com o ódio e a violência”.

“Nestes dias, à dor pelas guerras e aos conflitos que não param de afligir toda a humanidade, juntaram-se as vítimas do horrível atentado a duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia”, na sexta-feira, disse Jorge Bergoglio da janela do palácio apostólico do Vaticano, depois da Oração do Ângelus.

Rezo pelos mortos e pelos feridos e pelos familiares. Mostro a minha proximidade com a comunidade religiosa e civil e renovo o convite à união em oração e a gestos de paz para acabar com o ódio e a violência”, acrescentou o papa Francisco.

Um atirador matou na sexta-feira 50 pessoas num ataque a duas mesquitas de Christchurch. O suspeito tinha licença e adquiriu de forma legal as armas que usou para cometer os crimes. Brenton Tarrant foi já presente ao juiz Paul Kellar, do tribunal distrital, que lhe leu uma acusação de homicídio. Entrou no tribunal algemado e acompanhado por dois polícias e esteve perante o juiz cerca de um minuto. Brenton Tarrant vai regressar ao tribunal no dia 5 de abril.

Os ataques tiveram início às 13h40 (00h40 em Lisboa) nas mesquitas de Al Noor, em Hagley Park, e de Linwood Masjid. Brenton Tarrant reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto na internet o momento do ataque.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Crónica

Partir A. Ventura /premium

José Diogo Quintela

Ventura quer mudar o sistema por dentro. É uma espécie de supositório humano: faz-se introduzir no organismo para depois exercer a sua influência. Ei-lo metade glicerina, metade convicção ideológica.

Cristianismo

Nos portais do mistério, com Charles Péguy

Jaime Nogueira Pinto

De maioria que éramos, dominante e governante, e por isso até arrogante, nós cristãos, na Europa e no mundo, estamos a ficar minoria e voltámos a ser perseguidos, alvo de atentados, de discriminações.

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)