A primeira sondagem divulgada em Espanha, com vista às eleições de 28 de abril, dão uma vitória folgada a Pedro Sánchez e ao PSOE – mas, a julgar pela sondagem, o partido só conseguirá governar se fizer um pacto com o Podemos e os separatistas, para que estes últimos, pelo menos, se abstenham.

O estudo de opinião feito pela IMOP Insights, para o El Confidencial, indica que se as eleições fossem hoje o PSOE iria obter 30,5% dos votos, o que corresponderia a 131 assentos parlamentares (mais 47 do que os que têm hoje, na sequência da votação de 22,6% nas últimas eleições, em 2016).

Assim, Pedro Sánchez tem duas hipóteses se quiser formar governo nestas circunstâncias: o cenário mais plausível seria um acordo para obter o apoio do Unidas Podemos, o Compromís e o PNV, ao que se juntaria um apoio ou, no mínimo, uma abstenção por parte dos partidos independentistas. A alternativa a isso, menos provável tendo em conta a relação entre os dois líderes, seria uma coligação entre o PSOE e o Ciudadanos de Albert Rivera.

O que não parece provável é uma “geringonça” mais à direita: a julgar pela sondagem, o PP, o Ciudadanos e o Vox não teriam deputados suficientes para formar maioria, não indo além dos 156 deputados, no total.

Estes são os resultados da sondagem feita para o El Confidencial.

Fonte: El Confidencial

Estes dados vão ser atualizados duas vezes por semana até 22 de abril, ou seja, cerca de uma semana antes das eleições.