A startup portuguesa Huub está entre os 12 finalistas do Fashion Innovation Award, competição internacional que distingue as empresas que todos os anos procuram revolucionar o setor da moda através da tecnologia. A final da edição de 2019 decorre na cidade de Lugano, na Suíça, a 2 de Abril, e o foco deste ano esteve no papel da inteligência artificial e do machine learning na cadeia de valor da indústria da moda, da prototipagem ao comércio eletrónico.

“É fantástico obter o reconhecimento de um dos principais eventos de moda a nível mundial, especialmente numa edição focada em inteligência artificial e concorrendo com empresas de ecossistemas como Londres e Silicon Valley”, refere Luís Roque, presidente da Huub, em comunicado.

Fundada em 2015 por Tiago Paiva, Pedro Santos, Tiago Craveiro e Luís Roque, e incubada na Startup Braga, a Huub desenvolveu uma plataforma integrada de logística dedicada à indústria da moda, que gere as interações entre os intervenientes da cadeia — dos fornecedores ao cliente final. Está presente em mais de 80 mercados e distingue-se pela agregação de serviços num ponto de contacto único e pela possibilidade de controlo total sobre o processo logístico, o que permite que os clientes se concentrem no design e vendas das suas peças.

Portuguesa Huub capta investimento de 2,5 milhões de euros

A 2 de abril, na Suíça, a startup vai apresentar o seu projeto ao júri que conta, entre outros, com alguns nomes relevantes do mundo da moda, como a a Moschino e a Sergio Rossi, e de tecnológicas como a Accenture. Para Luís Roque, “vencer a competição seria tremendo, mas chegar aos 12 finalistas é já uma grande vitória”. A empresa também vai representar Portugal na Fashion Innovation Week, juntando-se a nomes como a Google e o Facebook.

A Huub utiliza modelos de otimização para aumentar a eficiência das operações logísticas de mais de 50 marcas , que decorrem na rede de armazéns da empresa em Portugal e na Holanda. “Desde o primeiro dia que procuramos trazer inovação e de alguma forma revolucionar a indústria da moda, democratizando-a e dando oportunidade a todas as marcas para crescer globalmente. E nós crescemos com elas”, afirma o presidente em comunicado.