Hungria

Primeiro-ministro da Hungria defende isenção de vistos de cabo-verdianos à entrada do país

320

Uma das razões para Viktor Orbán defender a isenção de vistos para a entrada de cabo-verdianos na Hungria é o facto de Cabo Verde ter uma parceria estratégica com a UE.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, está em Cabo Verde desde quarta-feira

TIBOR ILLYES/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, manifestou esta quinta-feira a sua abertura para a isenção de vistos para a entrada de cabo-verdianos no país, tal como acontece com os cidadãos europeus que entram em Cabo Verde.

“Eu posso entrar no vosso país sem visto. A lógica é a reciprocidade”, disse Viktor Orbán nas declarações que proferiu após a assinatura de um conjunto de acordos com o executivo de Cabo Verde, na cidade da Praia, durante a visita que está a efetuar ao arquipélago.

Uma das razões para o chefe do Governo húngaro defender a isenção de vistos para os cabo-verdianos que entrem na Hungria é o facto de Cabo Verde ter uma parceria estratégica com a União Europeia (UE).

Em relação aos acordos firmados esta quinta-feira, no âmbito do financiamento para a reutilização de água, tributação e evasão fiscal e proteção recíproca de investimentos, o governante húngaro manifestou vontade que os mesmos tragam benefícios para a população.

Por seu lado, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, sublinhou que se trata da primeira visita de um chefe do executivo da Hungria a Cabo Verde, o que significa a retoma das relações entre os dois países “ao mais alto nível”.

É sinal de confiança mútua e amizade e de uma forte aposta nas relações que vamos desenvolver fortemente em áreas que identificamos”, afirmou.

Ulisses Correia e Silva recordou que Cabo Verde ocupa atualmente a presidência rotativa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e que a Hungria é um elemento observador desta organização. “Esperamos que Cabo Verde possa ser um bom interlocutor também na comunidade”, disse.

E agradeceu a “advocacia” que o primeiro-ministro da Hungria e o seu Governo têm colocado “a favor de Cabo Verde nas relações entre Cabo Verde e a UE”.

Temos uma parceria estratégica com a UE e aspiramos conseguir a mobilidade no espaço da UE“, disse o primeiro-ministro cabo-verdiano. Para o futuro, Ulisses Correia e Silva defendeu, além da cooperação para o desenvolvimento, “uma cooperação económica e empresarial”.

“Queremos atrair investimentos, turismo, queremos ter comércio para que as relações, além de políticas e de cooperação, sejam também económicas”, declarou. Um dos protocolos assinado entre os dois governantes contempla uma linha de crédito de 35 milhões de euros, a conceder a Cabo Verde, para reutilização de água.

Outros documentos assinados incluíram uma carta de intenções relativa às negociações do acordo para evitar a dupla tributação e a prevenção da evasão fiscal em matéria de impostos sobre o rendimento e o acordo de promoção e proteção recíproca de investimentos.

Viktor Orbán está em Cabo Verde desde quarta-feira, dia em que foi recebido pelo Presidente da República cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca, e pelo presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)